COTAÇÃO DO DIA 22/01/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4780

VENDA: R$5,4790

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5070

VENDA: R$5,6470

EURO

COMPRA: R$6,6088

VENDA: R$6,6101

OURO NY

U$1.853,68

OURO BM&F (g)

R$ (g)

BOVESPA

-0,80

POUPANÇA

0,1159%%

OFERECIMENTO

Mercantil do Brasil - ADS

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Gestão
Página Inicial » Gestão » Desafios e oportunidades para comércio exterior

Desafios e oportunidades para comércio exterior

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Comércio exterior | Crédito: Pexels
Comércio exterior | Crédito: Pexels

Claus Malamud *

O número de importações no Brasil caiu, divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Segundo dados, houve uma forte queda na comparação entre o terceiro trimestre de 2020 e o trimestre anterior. E o que esse número significa? Significa que o país está crescendo pouco, e não está precisando de produtos importados para produzir. Quando a economia está em crescimento, o empresário investe em compras no exterior e isso não é ruim, como pode parecer para a maioria das pessoas.

Como em qualquer situação dentro de uma empresa, temos sempre que ponderar na hora de escolher entre realizar compras nacionais ou internacionais. É uma questão de benefício versus desafio: não existe uma predileção por compras internacionais ou locais, o importante é ser viável e haver lucro. Então, se uma empresa verifica que o preço internacional está 30% mais barato do que no mercado local, vale a pena importar para obter um lucro maior. 

Mas, quais os desafios que enfrentamos ao importar? É necessário verificar a viabilidade de um produto; fazer um planejamento de acordo com a produção, tempo de transporte e de venda desse produto na gôndola; e ter uma assessoria competente, que consiga auxiliar no processo de importação, que é burocrático e metódico. O leva muitos dias para desembaraçar uma carga, pois há muita questão que é colocada na parte de interpretação de um fiscal, o que leva a uma ineficiência do setor, pois tudo que depende de interpretação, leva mais tempo. O nosso país é, ainda, muito fechado, e considerado um dos cem piores do mundo com relação à burocratização.

Mas dito tudo isso, por que devo importar? Você consegue ter acesso a produtos que não estão disponíveis no mercado nacional; dependendo do tipo de atividade, dá para ter um lucro maior do que trabalhando com compras nacionais; e é possível personalizar o produto, fazer uma embalagem diferente, ter um diferencial que não conseguiria se dependesse de fornecedores brasileiros.

Há mais de dezenove anos eu importo da China, e vou explicar o porquê: A China, hoje, é o maior produtor mundial de muitos produtos acabados e, querendo ou não, lá está instalada a indústria com maior tecnologia do mundo. A viabilidade dos produtos fabricados no gigante asiático – devido ao fato de terem uma cadeia produtiva já bem desenvolvida – é grande, além de uma grande variedade e preços mais competitivos que em outros países. 

Mas a China é um bom negócio para as PMEs? Sim, para pequenas e médias, é possível realizar importações de pequeno porte, utilizando, inclusive, um sistema que o próprio Correio oferece de importação simplificada, por exemplo. Para médias e grandes empresas é possível desenvolver a sua marca e ter diferenciais competitivos que não são possíveis no Brasil devido a questões tributárias, trabalhistas e de toda a engrenagem que não favorece a grandes empresas a investirem em recursos. 

E o que o Brasil precisa fazer para facilitar o acesso ao mercado internacional? O governo precisa tornar o sistema mais claro para as pessoas, simplificando o processo. Estados e municípios precisam andar junto com a economia, com os empresários, pois são esses que dão emprego. É necessário que esses setores andem juntos, propiciando que empresas tenham um crédito melhor para fazer essa importação.

Na hora de importar, é preciso, ainda, levar em conta os seguintes aspectos: Custos Associados: País de origem (vantagens tecnológicas, mão de obra, qualidade, etc…), flutuações da moeda, taxas de importação, cobertura de maior de estoque e transporte; e Questões gerenciais: Controle de qualidade, relacionamento com o fornecedor, tempo de resposta, preferência do consumidor pelo produto nacional e mínimos de produção.

* Mentor de mercados asiáticos na Link, escola de negócios da XP Investimentos. E-mail: contato@mrchinaimports.com.br

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente