Com 100% dos colaboradores em home office, a operadora TIM teve que voltar o olhar para o afeto | Crédito: Ismar Ingber

Há muito tempo, o lugar de trabalho se tornou a verdadeira “casa” de boa parte da população. Muita gente gasta mais tempo envolvido nas suas atividades laborais diariamente, do que em todas as demais atividades somadas. Dessa forma, o ambiente corporativo se tornou, também, o ambiente das interações sociais, onde amizades são formadas e até amores surgem.

A mudança de hábitos promovida pela pandemia causada pelo novo coronavírus impôs uma “volta para casa” e, muitas pessoas, estão se ressentindo da falta da vida social proporcionada pelo trabalho. Para cuidar desse lado e evitar o comprometimento da saúde emocional e mental dos seus colaboradores nesses tempos tão difíceis e diferentes, muitas empresas traçam estratégias e implementam ações para que ninguém se sinta só.

A operadora TIM lançou mão de algumas iniciativas logo no início das medidas de isolamento social, há quase dois meses. Com 100% dos colaboradores em sistema de home office, a empresa, que tem na tecnologia a sua base, teve que voltar o olhar para o afeto.

De acordo com a gerente de Recursos Humanos das Regionais Sul e Sudeste da TIM, Paula Carreira, gerar engajamento nunca foi tão necessário. O termo, que já parecia desgastado em muitos casos, assumiu um sentido mais amplo.

“A crise do Covid-19 trouxe ao mundo uma reflexão do nosso propósito enquanto empresa, diante do impacto de nossas ações para a sociedade e, também, do nosso papel enquanto empregadora, consciente dos reflexos dessas mudanças no ambiente de trabalho e na vida dos colaboradores. Cada decisão impacta diretamente em milhões de vidas. Seja na forma de ofertar novas tecnologias, na forma de gerar novas parcerias e até mesmo conectar pessoas. Um propósito muito claro favorece o engajamento e confiança do time na empresa e reforça o nosso papel enquanto indústria para sociedade, neste delicado momento que estamos vivendo”, analisa Paula Carreira.

E, nesse cenário, a comunicação é ferramenta fundamental. Uma das iniciativas mais recentes da empresa foi a criação de “cards” que podem ser enviados digitalmente. Com o slogan “Mais do que nunca, precisamos estar conectados”, a campanha foi especialmente criada para os colaboradores e disponibiliza imagens carinhosas para serem enviadas para os amigos de trabalho, com frases que falam sobre a saudade dos colegas, companheirismo e apoio.

Logo no início da quarentena, foi criada a #tbtnews, newsletter semanal “Todos pelo Bem de Todos”, que traz novidades, informações e orientações, fazendo um resumo da semana; Também foi promovida uma live com um médico do trabalho, que desmistificou dados relacionados ao Covid-19, esclareceu dúvidas, trouxe dicas e informações, aproximando a empresa dos colaboradores.

Através dessas iniciativas foi possível, inclusive, saber quais as principais dúvidas e receios dos colaboradores em relação à pandemia e à própria relação deles com a empresa.

“Podemos dizer que a primeira dúvida é se haverá redução de postos de trabalho devido ao impacto da pandemia na economia. Também existe o medo que seus familiares sejam afetados com o Covid-19, e o próprio isolamento social também pode provocar questões emocionais mais difíceis, que precisam ser cuidadas. Na TIM assumimos o compromisso de manter os postos de trabalho, mesmo com o fechamento das nossas lojas próprias, fazendo uso de medidas oferecidas pelo governo durante o período de pandemia, como a possibilidade de antecipação de férias ou suspensão de contrato de trabalho, sem gerar impacto na renda e nos benefícios dos nossos colaboradores. Para apoiá-los em relação à instabilidade emocional que esse momento ocasiona, reforçamos o programa de Apoio Pessoal, que atende 24 horas por dia, sete dias da semana e estendemos o atendimento aos familiares”, explica a gerente de Recursos Humanos das Regionais Sul e Sudeste da TIM.