COTAÇÃO DE 17/05/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2660

VENDA: R$5,2660

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,2500

VENDA: R$5,4230

EURO

COMPRA: R$6,4106

VENDA: R$6,4134

OURO NY

U$1.866,89

OURO BM&F (g)

R$316,43 (g)

BOVESPA

+0,87

POUPANÇA

0,2019%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Gestão

Pesquisa “Empresas Humanizadas do Brasil” será apresentada dia 25

COMPARTILHE

Crédito: Freepik

Com base na ciência de dados e um trabalho de doutorado na Universidade de São Paulo, a startup Humanizadas, em parceria com o Instituto Capitalismo Consciente Brasil (ICCB), criou uma metodologia inédita que identifica o grau de evolução das companhias no tocante à qualidade das relações que as empresas desenvolvem e mantêm com seus múltiplos interlocutores.

Na prática, o índice desenvolvido mede o Rating de Consciência – que está diretamente relacionado à maior percepção de impacto das empresas nos ecossistemas nos quais atuam, envolvendo a capacidade de nutrir relacionamentos de excelência, gerar valor e impacto duradouros.

PUBLICIDADE

Esse é o alicerce da pesquisa Empresas Humanizadas do Brasil, cujo grande diferencial está no envolvimento de diferentes públicos, como lideranças, colaboradores, fornecedores, parceiros e sociedade. O mapeamento segue os princípios do Capitalismo Consciente e tem fundamentação em estudos acadêmicos e modelos de engajamento, desenvolvimento humano, perfis psicológicos, estratégia de valor compartilhado e cultura organizacional. A proposta é democratizar a evolução de consciência de indivíduos, organizações e sociedade, colocando a ciência e a tecnologia a serviço da nova economia.

Para divulgar os resultados da edição 2020 da pesquisa Empresas Humanizadas do Brasil, a Humanizadas e o Instituto Capitalismo Consciente Brasil anunciam a realização de um evento on-line em 25 de março, a partir das 18h30. Na ocasião, serão divulgados os dados dos relatórios gerados a partir de mais de 30 mil respondentes e mais de 220 organizações que atuam no País.

Na programação, mesa redonda sobre Gestão Humanizada das Organizações – com a participação de CEOs -; palestra “Atitude das lideranças para tornar as organizações mais conscientes”; e reconhecimento das empresas que são destaques na pesquisa.

O evento contará com as participações especiais de Raj Sisodia, professor da Babson College e cofundador do movimento Capitalismo Consciente; Jandaraci Araújo, conselheira do Instituto Capitalismo Consciente Brasil (ICCB); Hugo Bethlem, chairman do ICCB; e Pedro Paro, CEO e fundador da Humanizadas.

Metodologia -A pesquisa Empresas Humanizadas do Brasil foi inspirada no estudo Firms of Endearment, conduzido nos Estados Unidos por Raj Sisodia – professor do Babson College e um dos líderes do movimento global Capitalismo Consciente. Sisodia é mentor desse levantamento nacional inédito realizado em parceria com o Grupo de Gestão de Mudanças da Universidade de São Paulo (EESC/USP).

A primeira edição teve início em 2017, sendo os resultados divulgados em 2019, com o intuito revelar cases inspiradores de empresas que existem como um contraponto aos casos de corrupção denunciados pela Operação Lava Jato.

Em sua segunda edição, a Empresas Humanizadas do Brasil tem como start o questionamento sobre qual é o papel das organizações, hoje, para garantir o futuro das próximas gerações. No cerne da metodologia está o Rating de Consciência Humanizada – uma acreditação de boas práticas -, desenvolvido a partir de sólida base científica para despertar mudanças sociais. A mensuração do Rating de Consciência ocorre por meio da aplicação do instrumento Conscious Business Assessment (CBA), de autoria da Humanizadas.

A base do instrumento é a identificação da evolução da consciência das organizações – índice medido pelo Rating de Consciência e que está relacionado à maior percepção de impacto da organização no ecossistema no qual atua, envolvendo a capacidade de nutrir relações de qualidade, gerar valor e impacto duradouros. Para isso, a metodologia segue princípios do Capitalismo Consciente e tem fundamentação em estudos sobre modelos de engajamento, níveis de consciência, desenvolvimento humano e organizacional, perfis psicológicos, estratégia de valor compartilhado e cultura organizacional.

As diferentes abordagens integradas no mesmo instrumento de medição de resultados formam um modelo robusto para avaliar e monitorar sistemas complexos. As quatro dimensões de avaliação dos Ratings são: Engajamento dos Stakeholders com a organização (experiências de passado, satisfação presente e perspectiva de futuro); Princípios de Gestão (propósito maior, estratégia de valor compartilhado, cultura e liderança consciente, e adaptabilidade evolutiva); Valores Organizacionais (cultura atual e desejada sob diferentes perspectivas); e Narrativas Organizacionais (internas e externas, contemplando as notícias de mídia sobre a organização nos últimos cinco anos).

No Brasil, a pesquisa é liderada pelo Pedro Paro, CEO e fundador da Humanizadas e pesquisador de doutorado do Grupo de Gestão de Mudanças da Universidade de São Paulo, sob mentoria do professor Raj Sisodia (Babson College) e orientação do professor Mateus Gerolamo (EESC/USP).

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!