COTAÇÃO DE 16 A 18/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4540

VENDA: R$5,4540

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4700

VENDA: R$5,6130

EURO

COMPRA: R$6,3181

VENDA: R$6,3210

OURO NY

U$1.767,23

OURO BM&F (g)

R$309,68 (g)

BOVESPA

+1,29

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Gestão

Reduzir custos não pode afetar qualidade

COMPARTILHE

Vivemos um ambiente cada vez mais desafiador, mas ele pode ser o ideal, afirma Gati | Crédito: Divulgação

No fim de 2018, o Brasil ficou com o 72º lugar entre as 125 nações avaliadas pelo Índice de Competitividade Global de Talentos 2019, divulgado pela Insead, uma das maiores escolas de administração do mundo. A posição demonstra um ambiente de negócios ainda pouco maduro e uma das grandes dificuldades enfrentadas por grande parte das empresas é um item básico na gestão de qualquer empresa: o controle dos custos.

De acordo com o coordenador do curso de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão Industrial do Ietec, Carlos Antônio Gati, aumentar a produtividade e, com isso, a competitividade, não está atrelado a aumento de gastos. Pelo contrário, a redução de custos/despesas é muitas vezes consequência do aumento da produtividade.

PUBLICIDADE

“É preciso ter clareza que a redução de custos não pode afetar a qualidade dos produtos ou serviços oferecidos. A redução é resultado da otimização dos processos, ou seja, a capacidade de produzir mais com menos recursos”, explica Gati.

Por meio de uma análise global das etapas produtivas, a manufatura enxuta atua sobre problemas como: produção acima do necessário, tempo de espera prolongado, acúmulo de material em estoque, entre outros. A solução também precisa ser implantada holisticamente. A compra de uma máquina para acelerar a produção pode ser vista como investimento se o mercado absorver o excedente, porém se essa nova produção gerar estoque ela pode se transformar em custo.

O atual cenário de crise econômica certamente assusta qualquer gestor, porém, pode ser o momento ideal para um ajuste geral de processos. “Vivemos um ambiente cada vez mais desafiador, mas ele pode ser o ideal para se fazer uma melhoria. Em tempos de economia aquecida, os esforços se voltam para a venda, mas agora há tempo e concentração para a melhoria de processos”, pontua o professor do Ietec.

O mundo on-line já oferece uma série de ferramentas para gestão, muitas, inclusive, gratuitas. O professor, porém, alerta para a necessidade de uma formação teórica/técnica para uma gestão empresarial exitosa, especialmente nas micro e pequenas empresas.
“Para usar bem uma ferramenta é preciso ter conhecimento. De outra forma é tentativa-e-erro e isso pode demandar muito esforço e tempo, e, consequentemente, dinheiro.

Qualquer erro mais grave pode inviabilizar a operação de uma empresa de pequeno porte. O empreendedor precisa saber qual o seu posicionamento no mercado para escolher a ferramenta mais adaptável ao seu momento e modelo de gestão”, completa.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!