COTAÇÃO DO DIA 22/01/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4780

VENDA: R$5,4790

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5070

VENDA: R$5,6470

EURO

COMPRA: R$6,6088

VENDA: R$6,6101

OURO NY

U$1.853,68

OURO BM&F (g)

R$ (g)

BOVESPA

-0,80

POUPANÇA

0,1159%%

OFERECIMENTO

Mercantil do Brasil - ADS

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Gestão
Página Inicial » Gestão » Rotina híbrida e novas estratégias de retenção de talentos marcarão o ano de 2021

Rotina híbrida e novas estratégias de retenção de talentos marcarão o ano de 2021

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Home Office - Crédito: Divulgação
Home Office - Crédito: Divulgação

No ano de 2020, o mercado de trabalho e de contratações sofreu grandes mudanças e ensinou importantes lições para profissionais e para as organizações. De um lado, tínhamos a adaptação dos contratados ao lidar com um cenário mais flexível e remoto, enquanto que do outro, as empresas precisaram se adaptar ao mundo do digital e as novas rotinas de trabalho.

Segundo a especialista em RH Denise Asnis, que também é fundadora da Taqe – plataforma de recrutamento e seleção digital -, o mercado ainda sofrerá com muitas mudanças e uma das tendências vivenciadas nos próximos anos será a rotina híbrida, as novas estratégias de retenção de talentos e os processos seletivos focados em diversidade entre outros.

“O ano de 2020 foi desafiador e trouxe inúmeras transformações. Mas, apesar disso, ele veio para nos lembrar que é durante as crises que aprendemos e evoluímos. Essa rotina de trabalho mais flexível trouxe uma nova visão para o mercado e as empresas puderam criar ações mais estratégicas, alinhadas com seus valores e objetivos”, comenta a profissional. Denise Asnis destaca que entre as principais mudanças que veremos no próximo ano estão:

Rotina híbrida, talentos globais e novos formatos de contratação – O modelo de home office ou anywhere office, que muitas empresas estão adotando, trouxe grande flexibilidade para o mercado como um todo e, consequentemente, impactou no modelo de contratação, pois permite que as organizações contratem pessoas de diferentes partes do país e do mundo e faça isso de forma 100% digital. “Essas mudanças foram ótimas pois impactaram positivamente nas rotinas de trabalho. De um lado, os profissionais conseguiram ter mais flexibilidade e independência, as empresas puderam se conectar com pessoas de diferentes regiões e assim, trazer mais diversidade para o time e conseguiram fazer essa seleção de uma forma diferente, pois o digital ajudou muito nesse sentido”, comenta Denise Asnis.

Processos seletivos focados em diversidade, inclusão e soft skills – As empresas darão mais atenção para as questões de diversidade e o processo seletivo passará ter um olhar maior para as soft skills. “Isso nos leva a duas tendências: a primeira é que as contratações serão apoiadas na avaliação de perfis profissionais e pessoais. E, a segunda é que o foco será na contratação de pessoas com excelentes habilidades comportamentais frente ao conhecimento necessário ou formação”, destaca Denise Asnis. De acordo com a especialista, em 2021, mais do que nunca, os processos seletivos irão avaliar a qualidade do pensamento estratégico e inovador do candidato e a capacidade de adaptação e agilidade para solucionar problemas.

Novas estratégias para a retenção de funcionários – Os benefícios e a assistência médica serão usados como estratégias para reter os melhores profissionais nas empresas. Além de que, no momento atual, um notebook e um auxílio para estruturar o home office contam bastante. “Podemos dizer que esse mercado deve democratizar esse benefício não só em valor, mas em modalidades. As empresas devem pensar em diferentes formas de oferecer cuidado médico, inclusive, para os profissionais part time ou que trabalham por projeto”, diz a cofundadora da Taqe.

Transição de carreira – Uma grande aposta para o próximo ano é a migração de profissionais para a área de tecnologia, que possui diversas vagas que não conseguem ser preenchidas por falta de mão de obra qualificada. Dentre os segmentos em destaque estão a segurança da informação, ciência de dados, engenharia de software, infraestrutura de TI e business intelligence. “O mercado em 2021 exigirá ainda mais o domínio de ferramentas tecnológicas, será um grande fator de diferenciação e uma enorme vantagem competitiva”, ressalta Denise Asnis.

A marca empregadora e os processos seletivos – Uma das áreas que ganhou espaço nos últimos anos e vem sendo vista de forma cada vez mais estratégica é a construção da marca empregadora. “É preciso fazer com que os candidatos desejem trabalhar na empresa, mostrando as atitudes que revelam o valor proposto ao emprego antes mesmo de se oferecer uma vaga”, explica Denise Asnis. “Para isso, as empresas devem aprimorar a comunicação e a experiência oferecida durante os processos de contratação. O objetivo é fazer com que os candidatos percebam a coerência e se identifiquem com os valores e propósito da empresa”, complementa.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente