COTAÇÃO DE 06/05/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3640

VENDA: R$5,3650

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3470

VENDA: R$5,5200

EURO

COMPRA: R$6,4639

VENDA: R$6,4668

OURO NY

U$1.786,86

OURO BM&F (g)

R$309,04 (g)

BOVESPA

+1,57

POUPANÇA

0,1590%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Gestão

Startup Voll amplia carteira de clientes e atinge 200 mil usuários

COMPARTILHE

Jordana Souza | Crédito: Rayane Goulart / Divulgação
Jordana Souza | Crédito: Rayane Goulart / Divulgação

Criada em 2017, em Belo Horizonte, a plataforma de gestão de transporte corporativo Voll já conta com mais de 200 clientes em sua carteira, entre os quais, grandes companhias como Vivo/Telefónica, Sodexo, McDonald’s, Cargill, PepsiCo, Cielo, Heineken e Banco Itaú. Os usuários já chegam a 200 mil e estão espalhados pelo Brasil e exterior. Por estes e outros motivos, apesar de bastante desafiador, 2020 também foi um ano de crescimento para a startup.

A começar por seu primeiro aporte, de R$ 4 milhões, recebido em março do ano passado, em uma rodada de investimentos com a Wayra e Iporanga Ventures, que segundo a CRO da VOLL, Jordana Souza, foi destinado a aceleração do desenvolvimento de produtos e processos.

PUBLICIDADE

“Inicialmente previsto para o início deste exercício, antecipamos o lançamento de um serviço end-to-end de viagens, que permite ao usuário programar toda a viagem dentro da plataforma. É possível reservar o hotel, pegar um Uber, pedir alimentação ou alugar um carro. Tem todas as companhias aéreas, serviços de hospedagens, corridas e rodoviários”, explicou Jordana Souz.

Estratégia – Estratégias de contingência junto aos clientes também foram fundamentais para manter as operações em um ano de tantos impactos econômicos e sociais. A maior parte da carteira é formada por atividades que realizam serviços essenciais e muito da rotina dos colaboradores mudou, em função das restrições de deslocamento em combate ao novo coronavírus.

Neste sentido, a CRO contou que o suporte em deslocamentos para viagens de executivos, por exemplo, foi substituído por auxílio no transporte de funcionários que continuaram trabalhando in loco, evitando que usassem transporte público.

“Com essas ações conseguimos manter receitas e vendas. O ano foi desafiador, mas chegamos ao fim com crescimento de 45% no faturamento sobre 2019. Já para este exercício, esperamos triplicar o resultado, com uma atuação voltada para novos lançamentos e entregas de melhorias”, apostou.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!