COTAÇÃO DE 25/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,8200

VENDA: R$4,8210

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8900

VENDA: R$5,0160

EURO

COMPRA: R$5,1520

VENDA: R$5,1546

OURO NY

U$1.853,68

OURO BM&F (g)

R$287,13 (g)

BOVESPA

-0,98

POUPANÇA

0,6724%

OFERECIMENTO

Internacional

Maduro diz que dolarização da economia da Venezuela é “válvula de escape”

COMPARTILHE

Crédito: REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Caracas – O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse no último domingo (17) que as transações em dólares, que têm crescido nos últimos meses, são uma “válvula de escape” que pode ajudar o país a atravessar a crise econômica, em meio às sanções norte-americanas que visam tirá-lo do poder.

O bolívar, a moeda oficial venezuelana, se depreciou mais de 90% neste ano, e a hiperinflação dos primeiros nove meses do ano chegou a 4.680%, de acordo com o Banco Central.

PUBLICIDADE




A espiral inflacionária abateu o poder de compra do salário mínimo, que juntamente com a ajuda alimentar é equivalente a cerca de 10 dólares por mês.

“Não vejo como uma coisa ruim. Este processo que eles chamam de ‘dolarização’ e pode ajudar a recuperação do país, a disseminação de forças produtivas no país e a economia. Graças a Deus que ele existe”, disse Maduro em uma entrevista transmitida pelo canal Televen.

Maduro, que ao menos até 2018 proibiu o uso do dólar, acrescentou que, embora ainda esteja estudando transações na moeda norte-americana, que cresceram nos últimos meses, o bolívar continuará a circular como moeda oficial.

Desde 2003, a taxa oficial de câmbio vem sendo estabelecida pelo Banco Central, mas vem se tornando cada vez mais flexível.

PUBLICIDADE




O líder opositor Juan Guaidó reagiu aos comentários de Maduro sobre a dolarização em uma coletiva de imprensa na noite de domingo, dizendo que Maduro admitiu outra derrota.

“O fracasso de Miraflores, reconhecido hoje, é que o país está dolarizado. Ele reconhece que nossa moeda nem sequer tem mais valor”, disse Guaidó.

Sediada em Caracas, a consultoria Ecoanalitica estimou recentemente que 53,8% das transações da primeira quinzena de outubro foram realizadas em dólares, segundo uma amostra das sete maiores cidades venezuelanas.

(Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!