COTAÇÃO DE 26/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,7610

VENDA: R$4,7610

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8500

VENDA: R$4,9530

EURO

COMPRA: R$5,1433

VENDA: R$5,1459

OURO NY

U$1.850,86

OURO BM&F (g)

R$284,80 (g)

BOVESPA

+1,18

POUPANÇA

0,6719%

OFERECIMENTO

exclusivo Negócios zCapa

Carnaval contou com 4,45 milhões de foliões em Belo Horizonte

COMPARTILHE

No Carnaval de BH, 347 blocos realizaram 390 cortejos de 8 de fevereiro a 1º de março | Crédito: Diogo Ferreira Baia

Nem a chuva, que não deu trégua, afastou o folião das ruas de Belo Horizonte durante o Carnaval. Segundo balanço da Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur), 4,45 milhões de pessoas se divertiram nos blocos e festas da Capital entre os dias 8 de fevereiro e 1º de março. A economia movimentada na cidade ainda não foi divulgada.

Foram 347 blocos de rua, fazendo cerca de 390 cortejos pela Capital. E a folia ainda se espalhou pelas regionais da cidade, em oito palcos oficiais da Prefeitura, com a apresentação de mais de 70 artistas, em 102 horas de programação.

PUBLICIDADE




Entre as novidades, palcos nas regiões da Serra, Zilah Spósito e Praça de Confisco, o que reforçou o caráter de um evento descentralizado. Para os palcos, foram contratados 11 intérpretes de Libras. O número de eventos privados licenciados, motivados pelo Carnaval, foi de 86.

O Carnaval de Belo Horizonte 2020 foi viabilizado pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Belotur, com patrocínio master da Skol Puro Malte e patrocínio do iFood e do iti, aplicativo de pagamentos digitais do Itaú Unibanco.

O orçamento foi de R$ 6 milhões em verba direta, mais R$ 8,3 milhões em planilhas de estruturas e serviços, captado por meio de Edital de Patrocínio. A contratação de músicos, subvenção de blocos e escolas de samba e toda a estrutura dos palcos espalhados pelas regionais da cidade durante o evento, assim como todo o orçamento da Belotur, foi proveniente de investimento privado.

Hotelaria – O Carnaval de Belo Horizonte movimentou o setor hoteleiro no último mês, em especial entre os dias 21 e 26 de fevereiro. A taxa de ocupação de toda a cidade atingiu 56,04% e apresentou um melhor desempenho no dia 22, com 67,82%. Já a região Centro-Sul alcançou a média de 61,38%, com melhor performance no dia 23, quando chegou a 76,24%. O índice do final de semana também foi positivo. A região Centro-Sul apresentou média de 76,02% e, as demais regiões, 68,99%. Os dados sobre ocupação hoteleira são da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih-MG).

PUBLICIDADE




Pesquisa – De acordo com dados recolhidos pela Belotur, a maioria dos turistas (79,8%) e dos moradores (69,5%) avaliou que o evento superou ou atendeu plenamente suas expectativas, manifestando alta satisfação com a experiência vivida no Carnaval da cidade. Entre os visitantes que declararam ter participado em edições anteriores, 52,9% afirmaram que o evento melhorou e mais de 92,8% têm a intenção de retornar em 2021.

A pesquisa demonstrou ainda que, dentre os foliões, 81,9% eram moradores e 18,1% visitantes. A maioria deles veio do interior de Minas Gerais, seguido pelos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo e pelo Distrito Federal. O número de turistas na cidade foi 211 mil.

Os visitantes participaram, em média, de 3,7 dias do Carnaval, com um gasto médio diário, per capita, de R$ 199,88, totalizando um gasto médio de R$ 739,56 durante todo o evento. Já os moradores apresentaram um gasto médio durante todos os dias do evento de R$ 297,66. A avaliação geral do evento, em uma escala de um a 10 pontos, atingiu o índice de 8,6 na opinião dos turistas e dos moradores.

A Capital comemora o número crescente de visitantes durante a festa, mas poucos ficam em hotéis, preferindo a casa de parentes e amigos. “O objetivo da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Belotur, é de fazer sempre o melhor Carnaval e não necessariamente o maior. Então acreditamos que o crescimento orgânico do Carnaval é saudável para que possamos manter os excelentes índices de segurança, limpeza, saúde, mobilidade e conforto entre foliões e cidadãos belo-horizontinos”, afirmou o presidente da Belotur, Gilberto Castro.

Blocos caricatos e escolas de samba – Com um enredo que homenageou a trajetória do estilista mineiro Ronaldo Fraga, a escola de samba Canto da Alvorada foi a grande vencedora do Carnaval de Belo Horizonte 2020. A agremiação do bairro Planalto, na região Norte da cidade, apresentou o enredo ‘Memórias de um estilista coração de galinha’, que contou a vida e a obra do homenageado. Além do troféu, a agremiação levou o prêmio de R$ 80 mil. A escola Acadêmicos de Venda Nova ficou em segundo lugar, e a Cidade Jardim ocupou a terceira colocação do grupo A. Elas foram premiadas com as quantias de R$ 40 mil e R$ 20 mil, respectivamente.

Entre os blocos caricatos, o campeão do grupo A foi o Bacharéis do Samba, que com suas tradicionais cores amarelo e preto fez uma homenagem ao cantor Raul Seixas. Pelo primeiro lugar, o bloco recebeu a quantia de R$ 30 mil. Na classificação geral, eles foram seguidos pelo Estivadores do Havaí e Por Acaso, segundo e terceiro colocados, que receberam R$ 20 mil e R$ 10 mil.

“Evoluir sempre, manter a estratégia de trabalhar de forma integrada, aumentar o diálogo entre os públicos e adiantar as soluções é o maior aprendizado do Carnaval 2020 para a gestão da cidade”, concluiu o presidente da Belotur.

Belotur lança edital de R$ 1,325 mi

Belotur lançou ontem o segundo edital de subvenção para eventos com potencial turístico. O instrumento foca agora no outono, estação da gastronomia e dos encontros, para eventos realizados entre 10 de abril e 30 de junho deste ano. Os envelopes deverão ser entregues na sede da Belotur (rua dos Carijós, 166, Centro – Térreo), até 16 de março, das 9h às 12h e de 14h às 17h, de segunda a sexta-feira.

O valor global do edital é de R$ 1,325 milhão, que serão divididos em três categorias. Na categoria A, serão apoiados até três eventos com a concessão de auxílio financeiro no valor de R$ 100 mil cada. Na categoria B, serão apoiados até 16 eventos, com a concessão de auxílio financeiro no valor de R$ 50 mil cada. Na categoria C, serão apoiados até nove eventos, com a concessão de auxílio financeiro no valor de R$ 25 mil cada.

Para fins de análise e aprovação, serão considerados eventos técnico-científicos, culturais, sociais/religiosos e esportivos/lazer que estejam em acordo com a proposta de valor do Outono – Gastronomia e Encontros; tenham potencial turístico, ou seja, capacidade de se estruturar e consolidar para que, a médio e longo prazo, se tornem produtos turísticos da cidade; que movimentem a cadeia do turismo; engajem e incentivem o morador e o visitante a conhecer a cidade sob novos olhares; proponham dinâmicas, formatos ou atrações inusitadas e diferenciadas; e valorizem os atributos e espaços da cidade.

As dúvidas referentes ao edital serão esclarecidas exclusivamente via e-mail: licitacoes.belotur@pbh.gov.br até cinco dias úteis antes do prazo final de inscrição.
A inscrição será efetuada com a entrega simultânea de dois envelopes, sendo um com a habilitação jurídica e outro com a proposta técnica. Não é permitida a entrega dos envelopes separadamente.

Cada proponente terá direito à inscrição em apenas um projeto para o edital, independentemente da categoria. O resultado do julgamento das Propostas Técnicas e da Habilitação Jurídica será publicado no DOM, disponível no portal da Prefeitura. Para os projetos inabilitados, serão divulgadas as justificativas. (Da Redação)

Observatório busca novas entidades

Está aberto até 31 de março o processo para certificação de novas entidades junto ao Observatório do Turismo de Minas Gerais. Coordenado pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult), o Observatório é uma rede de pesquisa que tem como principal finalidade monitorar o desenvolvimento do turismo no estado por meio de pesquisas, dados e elaboração de indicadores.

Podem participar entidades públicas, privadas e instituições da sociedade civil que colaboram com o desenvolvimento da atividade turística a partir de realização periódica de estudos e pesquisas relacionados ao turismo no Estado.

Já fazem parte do Observatório, por exemplo, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Minas Gerais (Sebrae Minas), a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio-MG), a Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur), a prefeitura de Juiz de Fora e a Associação Brasileira de Agências de Viagens de Minas Gerais (Abav-MG).

Para solicitar a entrada junto ao Observatório de Turismo de Minas Gerais é necessário enviar a solicitação para o e-mail observatorioturismo@secult.mg.gov.br com os documentos especificados no Decreto e Regimento Interno que regulamentam a rede de pesquisa. (Da Redação)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!