COTAÇÃO DE 17/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2820

VENDA: R$5,2820

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3100

VENDA: R$5,4500

EURO

COMPRA: R$6,2293

VENDA: R$6,2322

OURO NY

U$1.754,86

OURO BM&F (g)

R$298,96 (g)

BOVESPA

-2,07

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Negócios zCapa
Novos produtos devem gerar um aumento de 20% na produção da Codil e um crescimento de 5% em seu faturamento - Crédito: Divulgação
Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

Especializada no beneficiamento de arroz e feijão, a indústria mineira Codil está expandindo sua produção em 20% com o lançamento de uma linha de farináceo, de uma marca de milho de pipoca, além de mais três tipos de feijão.

Ao todo, a companhia investiu R$ 790 mil nos novos produtos, o que inclui a compra de maquinário e a expansão física de sua fábrica localizada em Divinópolis, no Centro-Oeste do Estado.

PUBLICIDADE

O gerente comercial e de marketing da Codil, André Abdo Costa, explica que a empresa percebeu a necessidade de diversificar seu portfólio, mas se mantendo na linha de produtos naturais.

“As farinhas estão na base do consumo do brasileiro e a farinha de rosca, de forma específica, é muito utilizada nas atividades de transformação, como das salgadeiras. O milho de pipoca também é um produto muito consumido no Brasil, então, dessa forma, completamos nossa oferta que até então era só de arroz e feijão”, afirma.

Além dos dois novos produtos, a Codil também lançou três tipos de feijão: branco, jalo e rosinha, que eram uma demanda dos clientes da marca. Todos os produtos foram lançados no início deste mês na SuperMinas. De acordo com o gerente, os novos produtos devem gerar um aumento de 20% na produção da indústria e um crescimento de 5% em seu faturamento mensal.

Costa destaca que, para que a linha de farináceos, milho de pipoca e os novos tipos de feijão fossem produzidos, a companhia investiu na compra de um galpão de 1.000 metros quadrados, além de maquinários especializados no beneficiamento dos grãos e também no empacotamento. O investimento total foi de R$ 790 mil. A expectativa é de que a empresa encerre 2019 com 30% de crescimento no faturamento e 10% de crescimento em vendas, em relação ao ano passado.

O gerente afirma que a Codil vai continuar apostando nessa estratégia de expansão de portfólio no ano que vem. A ideia é, inclusive, procurar nichos do mercado de produtos naturais, como farinha de arroz, arroz arbóreo e farinha temperada.

Atualmente, a indústria conta com 300 funcionários que trabalham em duas unidades, uma em Divinópolis e outra em Capivari do Sul, no Rio Grande do Sul. Segundo Costa, os grãos são comprados diretamente dos produtores em Minas Gerais, mas também no Paraná, em Goiás e em São Paulo.

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!