Mommys virou empresa após receber aporte de US$ 50 mil, explicou Mariana Bicalho - Crédito: Divulgação

Um grupo de mães no Facebook com um objetivo em comum: compartilhar os anseios da maternidade. Foi assim que surgiu a Mommys, comunidade de rede social que se tornou uma empresa, este ano, em Belo Horizonte, e que oferece um leque de produtos às mães, baseados em três pilares: vida social, carreira e bem-estar.

A transformação da comunidade virtual em uma empresa foi possível depois que a fundadora do grupo, Mariana Bicalho, recebeu do Facebook um aporte de US$ 50 mil em um programa de lideranças de comunidade.

O grupo surgiu há nove anos, quando a empreendedora estava grávida do seu primeiro filho e sentiu a necessidade de compartilhar informações sobre a gestação e a maternidade. A comunidade cresceu rápido e, com o tempo, Mariana Bicalho percebeu que o espaço era uma fonte de demandas das mães.

“Elas apresentavam questões que tinham soluções, então comecei a pensar em como isso poderia gerar negócio”, explica. Uma das tentativas da empreendedora nesse sentido foi a criação de um clube de descontos em resposta às queixas das mães em relação ao preço das fraldas. As participantes do grupo pagavam uma anuidade e tinham acesso a uma rede de fornecedores, que ofereciam descontos exclusivos.

Outra oportunidade identificada rapidamente pela fundadora foi a quantidade de mães empreendedoras dentro do grupo, o que levou à organização das feiras das Mommys. Gradativamente outras necessidades foram surgindo e Mariana Bicalho passou a organizar palestras, rodas de conversa, encontros de Natal e até baladas para as mães, que hoje atraem até 800 mulheres.

A fundadora explica que todos esses produtos foram criados como resposta à demanda das mães, mas, até então, a Mommys não era uma empresa formalizada. Isso mudou no ano passado, quando Mariana Bicalho foi selecionada para um programa de apoio à liderança de comunidades do Facebook. Além de um treinamento no Vale do Silício, a empreendedora recebeu um investimento de US$ 50 mil.

“Foi com esse recurso que consegui transformar a Mommys oficialmente em uma empresa. Contratei cinco pessoas para a minha equipe e abri uma sede na Pampulha”, comemora. A formalização aconteceu este ano e, aos poucos, a empreendedora organiza os produtos da marca dentro da lógica de um negócio.

Entre as novidades para 2020 está o lançamento do Marketplace das Mommys, plataforma que vai comercializar os produtos das mães que participam do grupo. Além disso, a fundadora planeja outros eventos que reforçam os pilares de carreira, bem-estar e vida social das mães, que foram identificados como as maiores demandas da comunidade.