Mônica Cordeiro: guia foi criado para “educar” esses empreendedores - Crédito: Divulgação

Muito comum no ambiente de grandes empresas, o tema da governança corporativa chega também às startups. Empreendedores e diversos atores do ecossistema de inovação da capital mineira se reúnem hoje para discutir o assunto e participar do lançamento do guia Governança Corporativa em Startups & Scale-Ups. A publicação foi desenvolvida pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC).

A diretora de vocalização e influência do IBGC, Valéria Café, explica que o guia surgiu a partir do trabalho de um grupo dedicado às startups e que existe há três anos no Instituto. A ideia era entender se essas empresas de base tecnológica e disruptivas precisavam de uma governança, assim como as grandes empresas. E, depois de uma consulta detalhada ao mercado, o grupo entendeu que o tema era, sim, apropriado.

“Eles perceberam que as startups precisam também de governança corporativa, mas não no modelo tradicional. E foi a partir da contribuição de diversos atores do ecossistema que eles construíram um guia, que considera a aplicação de princípios da governança de acordo com quatro fases de desenvolvimento das startups. Elas são: ideação, validação, tração e escala”, afirma.

A diretora explica que o guia respeita a lógica de cada momento vivido pelas startups, de forma que os princípios não são pesados demais para os empreendedores. Na fase da ideação, por exemplo, as recomendações estão mais associadas a questões como proteção de propriedade intelectual e definição de expectativas dos sócios. Já na última fase de escala aparecem ações mais complexas, como adoção de código de conduta e postura ética, formação de conselho fiscal e auditoria interna.

“Na maioria das vezes o empreendedor só quer fazer o negócio ganhar escala. Ele não entende de governança e por isso se concentra em outras questões. Mas, o que ele não sabe é que alguns pontos de governança são essenciais para que o negócio seja sustentável. Por exemplo: não adianta ele sair em busca do investidor sem entender se os valores desse futuro sócio são os mesmos que os seus”, exemplifica.

A coordenadora-geral do Capítulo Minas Gerais do IBGC, Mônica Cordeiro, afirma que é justamente para educar esses empreendedores que o Instituto criou o guia. Ele está sendo lançado em todo o Brasil e, em Belo Horizonte, será acompanhado por um rico evento com o depoimento de atores do ecossistema.

“Estamos recebendo retornos muito positivos. Os empreendedores estão comentando que, se tivessem essa visão geral da governança corporativa desde o nascimento de seus negócios, sua jornada teria sido melhor. O guia tem uma linguagem fácil, um design atrativo e traz a experiência de outros empreendedores e, por isso, acreditamos que vai contribuir muito para prática das startups”, diz.

Além da apresentação do guia, o evento contará com a participação de diversos representantes do ecossistema de inovação da Capital, como o fundador do Guaja Café & Coworking, Lucas Duraes; o subsecretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de Minas Gerais, Victor Becho; o cofundador da RockContent, Edmar Ferreira; o sócio e diretor comercial e de marketing da Bossa Nova, João Kepler; e o gerente de Estratégia e Inovação do Grupo Algar, Daniel de Macedo.

O evento, que acontece hoje, será realizado no Orbi Conecta, a partir das 18 horas. As inscrições são gratuitas. Mais informações pelo telefone (11) 4020-1733 ou pelo e-mail: eventosibgc@ibgc.org.br.