Córdova afirma que em menos de dois meses as operações da empresa cresceram 1.200% | Crédito: Divulgação

A pandemia de Covid-19 trouxe, entre suas muitas consequências, a revalorização do comércio local. O distanciamento social e a necessidade de se evitar aglomerações fizeram com que muita gente passasse a evitar grandes supermercados e shopping centers e passasse a recorrer aos mercadinhos e outros tipos de comércio de bairro.

Entendendo essa tendência movida por muito mais que conveniência a Market4u reforçou seu modelo de negócio e franqueou a marca. O objetivo da empresa é instalar dentro dos condomínios um pequeno mercado autônomo, sem atendentes, para que os condôminos possam realizar suas compras. Por meio de um aplicativo, os moradores se cadastram, selecionam os produtos de seu interesse e efetivam o pagamento. Todo processo é realizado de forma on-line e sem a necessidade de ter contato com nenhum tipo de máquina.

De acordo com o CEO do Market4u, Eduardo Córdova, em menos de dois meses, a empresa viu sua operação crescer 1.200%, saltando de uma para 12 lojas instaladas e o faturamento vem dobrando mês a mês. Atualmente são cerca de 300 franquias em implantação.

“Começamos o projeto em 2019, com a proposta em cima de conveniência. Os prédios são cada vez maiores e o home office já existia. Conseguimos achar uma solução em que você pode comprar na comodidade da sua casa, desde coisas que faltam de repente até as compras grandes. Com a pandemia isso se tornou uma demanda nacional. Então surgiu o modelo de franquia dando escala à nossa expansão”, explica Córdova.

O franqueado fica responsável por um centro de distribuição (CD) local, abastecer os mercados autônomos e por prospectar clientes na sua região. A estimativa é que cada unidade faça a gestão de cerca de 150 mercados. O investimento médio para abertura de uma franquia é de R$ 20 mil.

“Conseguimos enxugar bastante os custos para o franqueado porque dividimos a conta com a indústria. Ela cede, como faz com redes de supermercados e outros modelos de varejo, equipamentos como freezers, por exemplo, em forma de comodato. Além disso, incentivamos as parcerias com fornecedores locais, principalmente para aqueles produtos regionais. Isso também ajuda a diminuir custos com logística e armazenamento. Assim também conseguimos oferecer para o consumidor final um preço bem atrativo, próximo ao oferecido pelo varejo tradicional”, afirma o CEO da Market4u.

Chegada em Minas – A entrada no mercado mineiro já está marcada e começa por Belo Horizonte. Além da Capital e sua região metropolitana, a empresa já negocia oportunidades em Uberlândia, no Triângulo, com implantação prevista para setembro. A meta é estar em todas as capitais brasileiras e 500 unidades em funcionamento em um ano .

“Mapeamos na região metropolitana cerca de dois mil condomínios, então podemos ter mais de 100 franqueados na região. Estimamos que Minas Gerais deverá ser nosso segundo mercado, atrás apenas de São Paulo. O Estado tem cidades grandes, importantes, e afeitas ao uso da tecnologia”, pontua o empresário.

Além do modelo tradicional, a empresa disponibilizará também outros tipos de serviços: Express – minimercado com estrutura mais enxuta que atende a condomínios com menos de 100 unidades; Office – estrutura com mix de produtos para atender escritórios, centros comerciais, centros médicos e todos os tipos de ambientes corporativos; Fit – estrutura com mix de produtos para atender academias e centros esportivos; e Premium – que oferece, além do básico para o dia a dia, itens importados.