COTAÇÃO DE 04/03/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6572

VENDA: R$5,6582

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5600

VENDA: R$5,8300

EURO

COMPRA: R$6,7415

VENDA: R$6,7445

OURO NY

U$1.698,79

OURO BM&F (g)

R$309,40 (g)

BOVESPA

+1,35

POUPANÇA

0,1159%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Negócios Negócios-destaque

Rejeitos da mineração viram pré-moldados

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Entre o material produzido estão pisos intertravados (foto) e blocos de concreto estruturais | Crédito: Piero d’Avila

A Fábrica de Blocos do Pico, instalada no município de Itabirito, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), é a primeira planta que produz materiais para a construção civil cuja matéria-prima essencial é o rejeito da atividade de mineração. A expectativa é de que, a cada ano, aproximadamente 30 mil toneladas de rejeito deixem de ser despejadas em barragens, por exemplo, e passem a ser transformadas em produtos pré-moldados de larga aplicação na indústria da construção civil.

Segundo a gerente-executiva do Complexo Vargem Grande da Vale, Karina Rapucci, a fábrica, localizada na Mina do Pico, pretende promover a economia circular na operação de beneficiamento do minério de ferro. Entre o material produzido estão pisos intertravados, blocos de concreto estruturais, blocos de vedação, placas de concreto, manilhas, blocos de vedação, entre outros.

PUBLICIDADE

“É a primeira iniciativa da Vale de reaproveitamento do rejeito do processo minerário. É um grande passo para a mineração do futuro, porque ela possibilita o reaproveitamento de todos os recursos minerais de uma maneira mais ampla, não utilizando apenas o minério de ferro, mas também a sílica presente no rejeito. O rejeito que antes era disposto em pilhas e barragens, agora volta para a cadeia produtiva”, explica KarinaRapucci.

Nos primeiros dois anos da fábrica, a empresa deve investir cerca de R$ 25 milhões em pesquisa e desenvolvimento tecnológico (P&D). A iniciativa vai contar com a colaboração do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG). Ao todo, 10 pesquisadores da instituição vão atuar na pesquisa durante este período. O grupo será composto por professores, técnicos de laboratório e alunos de pós-graduação, graduação e curso técnico.

A inauguração da fábrica, que ocorreu no último dia 17, contou com a presença do presidente do Sindicato da Indústria Mineral do Estado de Minas Gerais (Sindiextra) e vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais(Fiemg), José Fernando Coura. Na avaliação dele, a inciativa é positiva, pois representa a evolução da indústria no sentido de promover a sustentabilidade no setor.

“As empresas estão mudando muito. Hoje, 80% dos associados do Sindiextra já não têm barragem. A deposição de rejeito já está sendo feita com filtragem e o rejeito é depositado em pilhas. Cada vez mais estamos falando em economia circular, como por exemplo nas siderúrgicas. A escória vai para a fábrica de cimento, o fino de minério retorna para as mineradoras e é assim que vamos reaproveitando”, pontua Fernando Coura.

Ampliação do projeto – A fábrica de blocos ocupa uma área de 10 mil m² dentro da unidade da Mina do Pico, no Complexo Vargem Grande. Todo o sistema de produção da fábrica é automatizado, o que evita desgaste físico da equipe que atua na manipulação das peças.

De acordo com a Vale, o objetivo é replicar a fábrica de blocos em outras unidades instaladas em Minas Gerais, após o período de P&D na Mina do Pico. A empresa mantém parceria com mais de 30 organizações, entre universidades, centros de pesquisas e empresas nacionais e estrangeiras. Todo o trabalho é voltado para o reaproveitamento do resíduo da mineração em diferentes setores da indústria. (Brasil 61)

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente