Empreender em um setor concorrido como o da moda nunca foi tarefa fácil para a estilista mineira Terezinha Faria. Nos últimos 27 anos, a marca Sedução Lingerie, com sede em Belo Horizonte, resistiu a diferentes momentos políticos e econômicos e, hoje, se destaca como uma das marcas escolhidas pela TV Globo para vestir suas personagens de novelas. Para a fundadora da grife, reinvenção é o principal segredo do negócio, que deve registrar crescimento de 20% no faturamento em 2019, em relação ao ano passado.

A confecção e a loja da Sedução Lingerie ficam em uma casa no bairro Anchieta, na região Centro-Sul de Belo Horizonte. A marca também vende pela internet: são 300 modelos diferentes de sutiãs, calcinhas, camisolas e pijamas, que vão do básico ao sofisticado, tanto para o dia quanto para a noite. Segundo Terezinha Faria, o tíquete médio é R$ 300 e a linha noite é o carro-chefe da grife.

A estilista conta que lançou a marca como uma confecção para o atacado, mas logo percebeu que para crescer com rapidez teria que apostar no varejo também. Há 19 anos, ela comprou a casa que hoje é sede da marca e começou a atender as clientes. “Nessa época, ainda éramos focadas em linhas mais sofisticadas, mas precisamos nos adaptar. Como nos tornamos uma loja de bairro, começamos a investir em um portfólio mais completo e passamos a oferecer a linha básica também”, relata.

Mais tarde, a empreendedora voltaria a reinventar o negócio incluindo a confecção de peças personalizadas. A marca passou a produzir sob encomenda, dando opções de conforto, cumprimento e tamanho para as diferentes clientes. “Na Sedução Lingerie, se uma cliente gosta de uma camisola que só tem no tamanho M ela pode pedir o tamanho G e nós produzimos exatamente igual. Em uma loja comum o cliente vai embora, mas aqui não perdemos venda”, afirma.

Nessa mesma lógica de oferecer produto junto com serviço, a marca lançou, há 10 anos, a proposta do Chá de Lingerie. A empresa oferece diferentes planos às noivas que querem fazer a tradicional festa com as amigas antes do casamento. Os planos incluem desde o espaço para o evento, passando pelo buffet, programação com brincadeiras e, claro, as lingeries que serão compradas pelas amigas da noiva.

“A noiva vai à loja na semana da festa e separa a lingerie que gostar. No dia do chá nós colocamos as peças em uma arara especial e as amigas podem comprar para dar de presente. Hoje, o Chá de Lingerie representa 25% do nosso faturamento e a demanda só aumenta”, afirma.

E foi justamente todos esses diferenciais que ajudaram a marca crescer e, nos últimos anos, a se destacar na televisão brasileira. Terezinha Faria não sabe explicar como e nem porque, mas um dia recebeu uma ligação da TV Globo, sendo convidada a desenhar as peças que seriam usadas pela vilã Carminha, vivida pela atriz Adriana Esteves, na novela Avenida Brasil.

“Trabalhamos por nove meses vestindo essa personagem. A figurinista nos passava o briefing, a paleta de cores e nós criávamos as peças, que eram cedidas à Globo. Para nós a parceria deu muito resultado: tenho clientes que têm todas as peças da Carminha”, afirma. A marca acabou se tornando uma referência na emissora e fez peças para muitas outras novelas. Entre as atrizes que já vestiram a grife mineira estão Juliana Paes, Natália Timberg, Ingrid Guimarães e Sheron Menezes