COTAÇÃO DE 07/12/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6180

VENDA: R$5,6180

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6500

VENDA: R$5,7830

EURO

COMPRA: R$6,3427

VENDA: R$6,3451

OURO NY

U$1.784,35

OURO BM&F (g)

R$323,23 (g)

BOVESPA

+0,65

POUPANÇA

0,5154%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Negócios zCapa

Vivo Fibra será expandida em municípios de Minas Gerais

COMPARTILHE

A partir da rede adquirida da Cemig Telecom, a American Tower desenvolverá uma infraestrutura de fibra, diz Gomes - Crédito: Leonado Borges

A operadora de telefonia Vivo fechou uma parceria com a American Tower para impulsionar a expansão da banda larga de ultravelocidade, a Vivo Fibra, para mais de 40 municípios mineiros – o equivalente a 800 mil casas – espalhados por todas as regiões do Estado.

A American Tower está presente no Estado desde a aquisição da rede da Cemig Telecom no ano passado. De acordo com o diretor da Vivo em Minas Gerais, Renato Gomes, com a estrutura já pertencente à American Tower será possível levar a fibra para diferentes regiões do Estado sem a necessidade de instalação de novos clusters, o que dá ganho de velocidade à operação.

PUBLICIDADE

A primeira cidade implantada nesse modelo será Barbacena, na região do Campo das Vertentes, com o lançamento para dezembro próximo. Em 2020, serão mais 16 cidades: Alfenas, Guaxupé, Passos e São Sebastião do Paraíso, no Sul de Minas; Arcos, Formiga, Itaúna, Nova Serrana e Pará de Minas, na região Centro-Oeste; Conselheiro Lafaiete, na região Central; Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), Montes Claros, no Norte de Minas; Paracatu, no Noroeste de Minas; Patos de Minas, no Alto Paranaíba; Ubá e Viçosa, na Zona da Mata.

Hoje, a Vivo já oferece banda larga em 15 cidades no Estado: Betim e Contagem, na RMBH; Sete Lagoas, na região Central; Coronel Fabriciano; Ipatinga e Timóteo, no Vale do Aço; Governador Valadares, no Vale do Rio Doce; Pouso Alegre e Poços de Caldas, no Sul de Minas; Divinópolis, na região Centro-Oeste; Uberlândia e Uberaba, no Triângulo; Juiz de Fora e Varginha, na Zona da Mata; além da Capital.

“A partir da rede adquirida da Cemig Telecom, a American Tower desenvolverá uma infraestrutura de fibra. E a Vivo seguirá sendo a responsável por levar a fibra até a casa do cliente, o que permitirá garantir a melhor experiência de conexão, som e imagem, mantendo os padrões atuais da companhia. Nesse sentido, Minas Gerais tem uma vantagem, pois com a rede já instalada o processo ganha velocidade. Isso permite que atuemos em muitas regiões ao mesmo tempo”, explica Gomes.

Franchising – O segundo modelo de expansão dos serviços da vivo é o franchising, através da marca Terra Fibra. O modelo, desenhado para atender cidades entre 20 mil habitantes e 50 mil habitantes e também bairros ou regiões periféricas de grandes centros urbanos, exige investimento médio inicial entre R$ 2 milhões e R$ 2,5 milhões, com retorno previsto para 48 meses.

“Nosso objetivo é contribuir fortemente para a digitalização do Brasil e, em especial, de Minas, nosso segundo maior mercado. Hoje, estamos em 834 cidades do Estado, inclusive em algumas das menores. É certo que o nosso modelo de franquia tem muita aderência com o interior do Estado e o franqueado conta com todo o nosso portfólio e suporte”, afirma o diretor da Vivo em Minas Gerais.

O Terra conectado por Vivo Fibra terá início oficial em 20 de novembro na cidade de Águas Lindas de Goiás, no interior do Estado, e atenderá cerca de 80% de cobertura do município. O cronograma da operadora prevê cerca de 500 localidades para os próximos três anos. Com a iniciativa, a Vivo pode somar mais de 1 milhão de domicílios cobertos com fibra, pelos franqueados, aos 15 milhões já previstos pela expansão própria da companhia, até o final de 2021.

A expectativa é de que a expansão da fibra ajude a diminuir a carga sobre as outras tecnologias de conexão como o 3G e o 4G, inclusive na Capital. Em dezembro será a vez do Belvedere e Santa Lúcia, na região Centro-Sul.

“A fibra permite um outro tipo de uso da banda larga. Hoje as pessoas usam o 3G e o 4G dentro de casa. Com a fibra elas vão poder integrar serviços, ampliar os usos e otimizar o uso das tecnologias. Assim diminuir a competição por espaço dentro das bandas, tornando o uso mais racional e melhorando a experiência”, completa o executivo.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!