COTAÇÃO DE 01/12/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6700

VENDA: R$5,6710

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6870

VENDA: R$5,8270

EURO

COMPRA: R$6,3654

VENDA: R$6,3672

OURO NY

U$1.779,55

OURO BM&F (g)

R$322,58 (g)

BOVESPA

-1,12

POUPANÇA

0,4412%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Opinião

Economia circular em consumo

COMPARTILHE

Crédito: Divulgação

O volume de vendas do comércio varejista no Brasil cresceu 1,2% em julho em 2021, na comparação com junho, atingindo a quarta alta positiva consecutiva e fazendo o setor alcançar recorde na série histórica desde 2000. Comparando com julho de 2020, o comércio varejista cresceu 5,7%, sendo a quinta taxa positiva seguida, com bons resultados de tecidos, vestuário e calçados (42%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (36,8%), combustíveis e lubrificantes (6,4%), artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, perfumaria e cosméticos (4,8%). Os dados, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), evidenciam a retomada deste mercado no Brasil.

Nesse setor, uma pauta cada vez mais relevante é a economia circular, prática absolutamente necessária para que nossa sociedade consiga lidar com recursos naturais finitos e ecossistemas que precisam ser protegidos, que tem como objetivo a circulação de materiais não orgânicos somente dentro das cadeias produtivas. Na direção certa, entre as práticas mais comuns no Brasil, podemos citar a logística reversa e coletas seletivas, fundamentais para que aconteça a reciclagem. Essas práticas permitem uma menor produção de resíduos, e se bem planejadas, podem ainda ajudar a reduzir emissões de gases de efeito estufa, além de uso menor de água e energia, o que em conjunto protege mais nosso meio ambiente, contribuindo também para reduzir os impactos de nossas atividades de consumo sobre o clima.

PUBLICIDADE

Por fim, mas não menos importante, princípios da economia circular também ganharam uma grande relevância durante a pandemia da Covid-19, por exemplo com a venda de peças usadas. Essa perspectiva pode ser enquadrada como uma ação de consumo inteligente, além de promover geração de emprego e renda. Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) revela que 76,5% das indústrias desenvolvem alguma iniciativa do tipo, sendo principais práticas otimização de processos (56%), uso de insumos circulares (37%) e recuperação de recursos (24%). Para a maioria dos entrevistados (88%) a economia circular é importante ou muito importante para a indústria.

O tema é tão relevante que compõe um dos quatro temas de maior interesse indicados por líderes da Cadeia Nacional de Abastecimento em evento da Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Além disso, este é um novo paradigma de consumo, por várias razões. A primeira é que a Revolução Industrial foi pensada com cadeias produtivas lineares, com a premissa que os recursos naturais não eram finitos e de que os restos da produção e do consumo poderiam infinitamente ser acumulados em aterros e locais similares. Além disso, a produção tradicional pode demandar muita água, o que não é sustentável neste momento quando todas as regiões do planeta sofrem com restrições hídricas, inclusive o Brasil, e pode demandar muita energia.

Estamos em uma nova era com novas demandas, onde os consumidores, mais engajados do ponto de vista social e do cuidado ambiental, demandam processos mais limpos, fontes renováveis de energia e práticas alinhadas aos fatores ESG (Environmental, Social and Governance). Neste contexto, vemos que as tradicionais cadeias lineares, pouco a pouco, têm sido substituídas por cadeias circulares, onde parte do que antes seria descartado ao final da cadeia, consegue voltar ao início, originando um novo ciclo para aquele insumo ou produto. O Brasil, aliás, é referência na reciclagem de alumínio, prática que preserva a natureza, beneficia pessoas e diminuiu recursos de produção. Mas tem ainda muito o que fazer no estabelecimento de cadeias industriais totalmente circulares.

Outro ponto relacionado é que, cada vez mais, o consumidor é também vendedor. E esta possibilidade de colocar à venda aquilo que não se quer mais foi potencializada com a digitalização, onde hoje os consumidores vendedores têm uma série de aplicativos e sites para poder comercializar seus produtos e movimentar a economia. Há vários exemplos, desde brechós de roupas, calçados e acessórios, passando por empresas que coletam embalagens, e até carros por assinatura, com o uso substituindo a posse. Quando o varejo usa novas tecnologias, há voz, imagem e conexão de vendas não só no bairro, mas em todo o Brasil e até fora. O empreendedorismo digital está conectado com oferta de produtos personalizados, que encantam as novas gerações.

Embora a economia circular precise de melhorias de infraestrutura e atualização tributária para estimular ainda mais o uso consciente dos recursos naturais, ela gera oportunidades que valorizam as boas práticas e os diferenciais das empresas. Uma matriz energética limpa e renovável beneficia as organizações em um mercado que quer sustentabilidade. Aproveitar oportunidades relacionadas à economia circular é estratégico pois desenvolve novos elos na cadeia produtiva, gera negócios e empregos.

A economia circular baseada em princípios ESG integra economia, tecnologia, digitalização, personalização e escala. São negociações mais sustentáveis, com produtos mais acessíveis e que – pouco a pouco – aliviam os ecossistemas da pressão dos resíduos e emissões. Com a ampliação do escopo de atuação organizacional, podemos construir um novo modelo de negócios mais moderno e conectado com o que há de melhor em termos de inovação, sustentabilidade e tecnologia no mercado de consumo e varejo. Esta pauta tem que avançar, pois, o que é bom para o meio ambiente e toda a sociedade, acaba sendo positivo também para as empresas e o mercado.

*Sócio-líder de Consumo e Varejo da KPMG no Brasil e na América do Sul | fernandogamboa@kpmg.com.br
Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!