CRÉDITOS: CHARLES SILVA DUARTE / arquivo dc

David Braga *

Existe um velho ditado que diz que os mineiros são mais reservados e guardam para si as conquistas sem fazer muito alarde. Já passou da hora de mudarmos isso, afinal de contas, nosso Estado tem muito a oferecer, sendo competitivo diante das demais regiões do Brasil. Com 20.6 milhões de habitantes (similar à Austrália), somos o segundo maior mercado consumidor de energia do Brasil, segundo dados da Aneel (2017). Além disso, Minas Gerais é responsável por 53,7% da produção de minério, de acordo com o DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral – Gross Production 2015).

Como todo estado, Minas tem seus desafios, mas é importante salientar que somos o primeiro lugar em produção de aço no Brasil, primeiro em produção de minerais metálicos do País, um dos principais clusters de biotecnologia e ciências da vida da América Latina; o maior produtor e exportador de café do País; e um dos quatro maiores estados produtores de carros, ônibus, tratores e caminhões. Vale lembrar ainda que nosso Estado é o segundo maior produtor de carros do mundo (Fiat Chrysler Automobiles).

Provida de uma arrojada localização estratégica, a capital Belo Horizonte está, em média, a 1 hora de voo de 86% do PIB brasileiro, além dos voos internacionais para Buenos Aires (ARG), Lisboa (POR), Orlando (EUA) e Panamá. Empresas como Azul, Latam, Gol, Copa Airlines, Tap Portugal e ABSA operam por aqui. Seu custo de vida é 19,5% menor que o do Rio de Janeiro e 29,6% inferior a ao de São Paulo, segundo recente estudo do governo do Estado de Minas Gerais. A cidade, hoje, possui o segundo melhor sistema de saúde do Brasil, segundo pesquisa realizada pela consultoria Urban Systems, perdendo apenas para Vitória (ES). Cidades como Rio Janeiro e São Paulo, estão em 10º e 14º lugar, sequencialmente.

No que tange às relações internacionais, BH abriga seis consulados oficiais, 36 consulados honorários e 16 câmaras de comércio internacional. Ao abordarmos sobre Educação, constata-se que Minas tem a maior concentração de universidades federais do Brasil, com 11 unidades. Além das federais, temos 45 universidades privadas e duas universidades estaduais. Existem também as escolas internacionais (Fundação Torino – escola italiana, Escola Americana e MapleBear, escola canadense). São destaques reconhecidos na esfera educacional a Fundação Dom Cabral (FDC), considerada umas das 10 melhores escolas de negócios do mundo, segundo Executive Education Ranking – 2019 – Jornal Britânico Financial Times; a UFMG (uma das três melhores do Brasil, segundo a Executive Education | Ranking – Open – 2017 – Financial Times e a melhor em qualidade de ensino, segundo o National Institute of Industrial Property); a PUC Minas (maior universidade católica do mundo); e o Cefet (instituição centenária, e maior centro dedicado ao ensino tecnológico de Minas Gerais).

No ambiente corporativo, temos uma forte presença de consultorias de negócios e auditoria como Falconi e Instituto Aquila, além da presença de escritórios das Big Four como Delloite, PWC, EY e KPMG. Minas Gerais também é um consistente ecossistema de TI, representando mais de 3.300 empresas do segmento em Belo Horizonte, com mais de 19 mil posições de empregos gerados (fonte: Rais 2016/MTE CNAEs: 95118, 62040, 62015, 62023, 62031, 62091, 63194, 63119). Além disso, somos uma das principais comunidades de startups do Brasil, com mais de 250 empresas multissetoriais. San Pedro Valley, na região Centro-Sul da Capital, é o 2º maior celeiro de startups do Brasil, segundo aponta a ABStartups. Na região estão oito aceleradoras, 37 agências digitais, 256 startups, cinco investidores, duas incubadoras e 10 coworkings.

Ainda no pilar de empreendedorismo, Belo Horizonte é o local ideal para R&D. O único centro de R&D do Google na América Latina encontra-se em BH, com 200 engenheiros altamente qualificados. Está aqui um dos três centros da empresa com acesso ao algoritmo de busca. Além disso, a Embraer, também possui na cidade, o primeiro Centro de R&D da empresa fora de São Paulo, local que já possui 200 elevadamente preparados.

Quanto à cultura e ao lazer, Belo Horizonte é detentora do título de capital com o maior número de bares e restaurantes per capita do Brasil (aproximadamente 12 mil estabelecimentos). Temos uma das mais importantes coleções de arte contemporânea do País, presentes no Inhotim (a 50 km de BH), maior centro de arte a céu aberto da América Latina. Em 2014, o museu foi eleito pelo Tripadvisor, como um dos 25 melhores museus no mundo. A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, eleita duas vezes o melhor grupo erudito do Brasil é um ícone do nosso Estado, que possui ainda a Sala Minas Gerais, espaço concebido com alta tecnologia e referência mundial em acústica. O Circuito Cultural Praça da Liberdade, consagrado como o maior conjunto integrado de cultura do País, com doze museus e espaços culturais, é mais um dos inúmeros atrativos culturais ao dispor de quem admira a arte em todas as suas vertentes.

Diante desse diagnóstico, fica evidente que Minas Gerais, sem sombra de dúvidas, é um Estado de extrema pujança com horizontes para atrair investimentos de qualquer setor da economia. O panorama elucidado aqui ratifica Minas como um excelente polo de empregabilidade, com consistentes empresas em variados segmentos, com alta tecnologia, que precisam de profissionais diferenciados. Hoje já não é mais complicado trazer profissionais oriundos de outros estados, uma vez que é atrativo para qualquer pessoa ter a possibilidade de viver com custo menor e com melhor qualidade de vida (se comparado aos grandes centros), atrelada à perspectiva de atuar em empresas renomadas e de vanguarda.

Não foi por acaso que em maio deste ano, a Prime Talent Executive Search, empresa de busca e seleção de talentos reuniu os principais executivos do C-Level brasileiro, no gramado do Estádio Mineirão (que inclusive já se transformou em uma das principais arenas multiuso do País, para futebol, shows, eventos corporativos e até mesmo casamentos), para discutir sobre legado com os palestrantes Amyr Klink, Rogério Chér e Gil Giardelli, em um jantar assinado pelo premiado chef mineiro Léo Paixão e música de Fernanda Takai, cantora radicada em Minas desde a adolescência. Foi um belo momento onde reunimos as principais lideranças nacionais e mostramos que Minas Gerais pode muito mais, para os mineiros, e para o Brasil.

  • CEO, Board Advisor e Headhunter da Prime Talent, empresa de busca e seleção de profissionais estratégicos, com base em MG e unidade em São Paulo