COTAÇÃO DE 21/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6670'

VENDA: R$5,6680

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6800

VENDA: R$5,8270

EURO

COMPRA: R$6,5669

VENDA: R$6,5699

OURO NY

U$1.783,12

OURO BM&F (g)

R$323,30 (g)

BOVESPA

-2,75

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Opinião

Semipresidencialismo é a solução?

COMPARTILHE

Crédito: Ricardo Moraes/Reuters

Voltamos a acompanhar algumas manifestações em favor da alteração do sistema de governo vigente no País. Quem puxa a fila neste momento é o atual presidente da Câmara dos Deputados na defesa pelo semipresidencialismo.  Esse assunto e o da mudança do sistema eleitoral para os cargos proporcionais vêm e voltam de tempos em tempos nas falas dos parlamentares e dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Eles argumentam que a mudança do sistema de governo reduzirá a instabilidade política que vivenciamos em nosso País.            

No sistema semipresidencialista o eleito pelo povo ocuparia o cargo de Chefe de Estado e governaria em parceria com o escolhido pelo Congresso que seria o Chefe de Governo também denominado de primeiro-ministro. Caberia a ele a função de selecionar os ministros das outras pastas, implementar as políticas de cunho econômico e social e garantir a estabilidade para o governo. Ele seria o elo entre o Chefe de Estado e o Congresso Nacional. No entanto, no modelo semipresidencialista o Chefe de Estado poderia se necessário nomear o primeiro-ministro, dissolver o Parlamento ou Congresso, propor leis, etc.  

PUBLICIDADE

Será que o sistema de governo semipresidencialista reduziria a “instabilidade política” instalada aqui nas terras brasileiras?  Algumas lideranças políticas e jurídicas que defendem o semipresidencialismo arrazoam que a instabilidade política é fruto da falta de apoio que o governo tem no Congresso, o que impede a implantação das políticas de governo. E, pelo semipresidencialismo o governo e o seu primeiro-ministro teriam a chancela do Congresso traduzida pelo apoio da maioria dos partidos que lá estão.

É uma solução. Mas se esta mudança se apresenta como necessária ela talvez não seja suficiente. Estudos comparados sobre sistemas de governos em países democráticos, como o do pesquisador Kaare Strom intitulado “Minority Government and Majority Rule”, mostra que a existência de governos sem o apoio da maioria no Congresso é uma realidade comum nas democracias. Exigindo sempre que o governante eleito pelo povo nas democracias tenha as qualidades de liderança, aglutinação e de persuasão às quais, segundo Maquiavel (1469/1527) o escritor da “arte de governar” formam o conjunto de virtus necessárias para o Príncipe governar.

Na política, confundir “apoio” com “tolerância” é danoso. Impede que se perceba que os partidos no Congresso não apoiam o governo e sim o “toleram” em torno do cálculo dos custos e benefícios que fazem ao estar ao lado do governo. E, se o governo está lhe trazendo prejuízos o partido passa para a oposição.

Arrisco em dizer que a instabilidade política que estamos experimentando, desde junho de 2013, é o desenlace de não reprimirmos em nosso País a prática de valores não democráticos. Como advertem Steven Levitsky e Daniel Ziblatt em “Como as democracias morrem” é preciso recuperar a “tolerância mútua”, imprescindível para a solidez das democracias, e se começa respeitando as regras do jogo democrático e não tratando os adversários políticos como inimigos mortais.

*Professor de Ciência Política e do Programa de Pós-graduação em Direito – Mestrado Acadêmico do Centro Universitário Internacional – Uninter | [email protected]
Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!