Em meio à pandemia, Monte Verde registrou aumento de turistas acostumados com viagens internacionais | Crédito: WGO Comunicação/Divulgação

Monte Verde, famoso distrito de Camanducaia, no Sul de Minas, apesar do distanciamento social que afastou os turistas, continua no sonho de muitos viajantes à espera de uma oportunidade para colocar o pé na estrada.

Uma pesquisa da Booking, agência de viagens on-line para reservas de hospedagem, revelou que Monte Verde está entre os cinco destinos mais desejados pelos brasileiros, junto com Gramado (RS), Rio de Janeiro (RJ), Campos do Jordão (SP) e Porto de Galinhas (PE).

Os dados foram colhidos a partir de listas de viagens criadas por viajantes na plataforma entre maio e junho deste ano. O levantamento também mostrou uma tendência: os destinos domésticos foram os favoritos em 83% das listas de desejos de feitas por consumidores.

A classificação não surpreende o diretor da Agência de Desenvolvimento de Monte Verde e Região (Move), Bruno Rosa. A reabertura do turismo da cidade começou no dia 4 de junho, quando os mais de 150 hotéis e pousadas da região voltaram a operar com até 40% da capacidade.

A medida segue até 29 de julho, respeitando, assim, o período em que a cidade permanecerá em “alerta” para os casos de Covid-19. Áreas de lazer, como piscinas, saunas, quadras esportivas e playground, porém, permanecem fechadas. Atividades com até duas pessoas, como quadra esportiva para tênis, estão permitidas.

“Graças a Deus e ao trabalho de todos não precisamos regredir do plano de abertura, como aconteceu em muitas cidades. Não tivemos aumento de casos em Monte Verde por causa do turismo. Os nossos resultados são comparáveis ao do resto da cidade. Seguindo todos os protocolos, conseguimos mostrar que o turista não é o vilão. Troca de roupa de cama feita pelo hóspede, café entregue na porta do quarto. Os passeios de jipe são com duas pessoas, no máximo quatro, se forem do mesmo núcleo familiar. A Pedra Redonda – um dos nossos principais atrativos – foi reaberta um pouco depois, criamos um plano aprovado pela prefeitura. Podem visitá-la, no máximo, 120 pessoas por dia, com horário marcado. Agora, aumentamos de 40% para 60% a taxa de ocupação permitida. Esse volume é para pagar as contas”, explica Rosa.

De acordo com o Decreto Municipal 0119/2020, publicado em 29 de maio, desde o dia 1º de junho, também com restrições, atividades de outros segmentos voltaram a funcionar, como bares, restaurantes, lojas, academias e salões de beleza.

Monte Verde abriga, de acordo com a Prefeitura de Camanducaia, mais de 50 restaurantes, bares e similares. Aos finais de semana e feriados, apenas turistas com reservas antecipadas podem ter acesso ao distrito.

Reabertura do turismo no distrito começou em 29 de julho | Crédito: WGO Comunicação/Divulgação

Relevância – O bom trabalho realizado em Monte Verde repercutiu no Ministério do Turismo (Mtur). Em visita ao distrito, no dia 17 de julho, o ministro Marcelo Álvaro Antônio confirmou o investimento de R$ 1 milhão no projeto de revitalização do canteiro de entrada de Monte Verde e comentou: “Monte Verde é um exemplo nacional no âmbito da retomada do turismo. É um prazer enorme estar em um local que está dando um exemplo para o Brasil em termos de protocolos de segurança. O distrito está mostrando que realmente o turismo não é o vilão”, afirmou Antônio.

Enquanto os turistas vão se reanimando a sair de casa e buscando destinos próximos e seguros, Monte Verde começa a receber turistas com perfil um pouco diferente do que estava acostumada. Tradicionalmente um destino muito procurado pelos paulistas – que chegaram a ser responsáveis 80% das reservas -, vinha passando por uma diversificação de perfis e os turistas oriundos de Belo Horizonte e região metropolitana já estavam em 20%. Agora quem busca pelo destino são viajantes acostumados com as viagens internacionais.

“Estamos nos esforçando para comunicar que estamos trabalhando de forma segura. O perfil do turista que está vindo neste momento é de uma classe mais alta, que ia para o exterior e está buscando um destino por perto. Monte Verde é bom o tempo todo e agora é frio e férias escolares. Só que não tem férias escolares, as crianças estão estudando on-line. O planejamento de viagem no mundo virou uma bagunça. Neste momento vem muita gente do próprio Sul de Minas e de São Paulo”, completa o diretor da Move.