Crédito: Reprodução

Durante o debate sobre a conectividade no País que aconteceu no último dia da 16ª edição do Fórum de Líderes da Aviação, as empresas aéreas brasileiras anunciaram que a malha aérea estará totalmente reposta até janeiro de 2020 e que será a maior frota para a temporada de verão desde 2015.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, comemorou a notícia e ressaltou que a reposição da malha aérea impacta diretamente no preço das passagens.

“Esse anúncio reflete as medidas assertivas tomadas por este governo que tem o objetivo de desburocratizar e facilitar a vida de quem empreende e gera emprego no Brasil. Aumentar a oferta de voos vai garantir a qualidade do serviço e trazer um preço mais justo aos consumidores. Dessa forma, vamos conseguir melhorar e fomentar o turismo interno e internacional”, ressaltou.

O presidente da Gol, Paulo Kakinoff, explicou que o mercado da aviação civil ficou defasado após a saída da Avianca do mercado no início deste ano e que as empresas tiveram que se adaptar para minimizar a crise.

“As empresas aéreas remanescentes conseguiram absorver o impacto de milhares usuários sem voos. Não deixamos nenhum cliente desamparado. Isso só foi possível graças ao apoio do governo que agilizou a flexibilização de processos burocráticos para que conseguíssemos realocar os viajantes da melhor forma”, explicou Kakinoff.

A companhia aérea Passaredo passou a operar novos voos em rotas regionais em São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, contribuindo para o aumento da frota brasileira. No encontro, o diretor executivo da companhia, Eduardo Busch, atribuiu a ampliação da oferta de voo à redução do ICMS e à reposição dos slots.

O presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Eduardo Sanovicz, reforçou a importância do trabalho e do apoio do governo federal, do ministro do Turismo e do Congresso Nacional junto ao setor de aviação.

“O ano de 2019 teve uma agenda muito rica no ambiente regulatório e no parlamento. Debatemos capital estrangeiro, desregulamentações da prestação de serviço, como no caso do transporte de bagagens, ICMS e em todos esses momentos contamos com o empenho destas lideranças”, complementa Sanovicz.

Revisão da tributação do querosene de aviação (QAV), desenvolvimento da aviação regional, novo Código Brasileiro de Aviação (CBA) e judicialização no setor aéreo também foram temas abordados durante o encontro.

Na ocasião, foram entregues ainda os convites da cerimônia de premiação do Prêmio ABEAR de Jornalismo e Prêmio ABEAR Spotters. Com o tema focado no turismo, o evento será realizado no dia 6 de novembro na capital federal.

(Agência de Notícias do Turismo)