COTAÇÃO DE 22/06/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,9650

VENDA: R$4,9660

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,9570

VENDA: R$5,1130

EURO

COMPRA: R$5,9745

VENDA: R$5,9772

OURO NY

U$1.778,62

OURO BM&F (g)

R$286,53 (g)

BOVESPA

-0,38

POUPANÇA

0,2446%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Coronavírus livre Turismo
Crédito: DIvulgação

O setor hoteleiro tem sofrido com a proliferação do coronavírus (Covid-19) que está assolando diversos países no mundo. Em Minas Gerais, os severos efeitos da pandemia têm impactado a economia dos empreendimentos que já registram cancelamentos de mais de 70% das reservas, repercutindo na empregabilidade do setor.

Diante desta realidade, a Associação Brasileira de Indústria de Hotéis de Minas Gerais (Abih-MG) adota um posicionamento ativo diante de todos os reveses que vêm abatendo à indústria hoteleira desde 2014 e que agora se agrava com estado de pandemia e a proibição de eventos, viagens e realização de quarentenas; mantendo contato direto com o gabinete de crise dos governos para pleitear a sustentabilidade da rede hoteleira no estado, que é um dos primeiros segmentos a sofrer com a drástica redução da atividade econômica.

PUBLICIDADE

A entidade lança ainda, em Belo Horizonte, a campanha “Turista, não cancele. Remarque! – O turismo precisa de você para vencer esse desafio” para minimizar o aumento nos cancelamentos e reduzir os prejuízos.

De acordo com o presidente da Abih-MG, Guilherme Sanson, as ações imediatas para equilibrar a situação seriam a redução do ISS, isenção do IPTU até março de 2021 e ICMS, e que o mesmo seja desmembrado das contas de energia elétrica, telefonia, água, esgoto e gás, sendo diferido seu pagamento para pelo menos seis meses, garantindo ainda a possibilidade de futuro parcelamento.

“Precisamos de um alívio financeiro com a prorrogação de impostos municipais, estaduais e federais. Isso ajudaria o setor a passar por essa fase sem que haja o fechamento de hotéis, empresas voltadas para eventos e companhias aéreas, por exemplo”, afirma.

Em relação ao aumento significativo do cancelamento das reservas, Sanson explica que “este é o resultado direto do fechamento de museus, parques, feiras, aeroportos, além dos cancelamentos dos eventos na cidade de Belo Horizonte e no Estado de Minas Gerais. Sabemos que são ações momentâneas, mas o fechamento e cancelamento desses players turísticos gera uma queda grande para o setor. Por isso estamos lançando aqui na capital a campanha ‘Turista, não cancele. Remarque! O turismo precisa de você para vencer esse desafio, um projeto extremamente importante para que, com a ajuda dos hóspedes, possamos passar este momento delicado da melhor forma possível’”, diz.

A iniciativa propõe a união de todos os empreendimentos do segmento para um movimento em prol da diminuição de cancelamentos e do reflexo econômico no setor.

Sanson esclarece ainda que a orientação da Abih-MG para o trade é flexibilizar o remanejamento das reservas, especialmente as que foram pré-pagas, mas que tinham condições restritivas, e o bom senso para negociar uma oferta e a condução de uma política de cancelamento satisfatória, evitando impacto jurídico entre hóspedes, hotéis e já possibilitando uma melhora na ocupação e nos negócios no futuro próximo, facilitando o planejamento estratégico. (Da Redação)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!