COTAÇÃO DE 17/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2820

VENDA: R$5,2820

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3100

VENDA: R$5,4500

EURO

COMPRA: R$6,2293

VENDA: R$6,2322

OURO NY

U$1.754,86

OURO BM&F (g)

R$298,96 (g)

BOVESPA

-2,07

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Turismo

Turismo resiste à crise em Paraopeba e apura alta no faturamento

COMPARTILHE

Método de trabalho adotado pelo projeto incluiu o entendimento do contexto regional | Crédito: Tom Alves
Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

Apesar da crise econômica que assolou o setor turístico nacional no último ano, registrando queda de 36,7% segundo o IBGE, 50 empreendimentos dos municípios de Brumadinho, Igarapé, Juatuba, Mário Campos e São Joaquim de Bicas driblaram as dificuldades e aumentaram em quase 5% seu faturamento médio e em 18% seus postos de trabalho. Os bons resultados têm uma explicação: esses empreendimentos participaram do Projeto para o Fortalecimento e Competitividade do Setor Privado do Turismo, desenvolvido pelo Circuito Turístico Veredas do Paraopeba em parceria com a Vale e executado pela Turismo 360.

Durante quase um ano, três agências de turismo receptivo,15 empresas de alimentos e bebidas, um guia de turismo, 21 meios de hospedagem e dez produtores associados ao turismo – selecionados por meio de edital público – receberam assistência técnica em diferentes áreas de gestão, além de consultoria em marketing e mídias sociais e apoio para o desenho de experiências turísticas inovadoras. “Um dos principais objetivos da Vale com esse projeto foi capacitar empresários do trade turístico local, porque sabemos da importância da atividade turística como geradora de emprego e renda nos municípios. Com essa iniciativa, reforçamos nosso compromisso com o desenvolvimento econômico das comunidades impactadas pelo rompimento da barragem de Brumadinho”, analisa a responsável técnica do projeto, Daniele Teixeira.

PUBLICIDADE

A empresária Flávia Alvarenga do Carmo, sócia do Hotel Fazenda Vale Amanhecer, em Igarapé, conta que se inscreveu no programa com o intuito de profissionalizar seu negócio. Ela lembra que a crise gerada pela pandemia expôs a fragilidade da sua empresa, até então gerida de forma amadora. “Faltava uma gestão profissional, focada no futuro, com estratégias comerciais e nicho de mercado mais definidos. Vi no programa a oportunidade de contar com a ajuda de profissionais capacitados que nos colocássemos no caminho certo, saindo de uma gestão amadora para uma gestão mais profissional’’, diz.

A busca por ferramentas estratégicas de gestão também foi o que motivou Reinaldo Mendes, proprietário do restaurante Casa do Rei Bistrô, em São Joaquim de Bicas, a concorrer a uma das vagas oferecidas pelo projeto. “Decidi me inscrever para poder aprender a lidar melhor com o meu negócio. Vimos nesse projeto a possibilidade de crescer, aumentar nossa visibilidade e nos tornar mais competitivos”, explica.

O método de trabalho adotado pelo projeto incluiu o entendimento do contexto regional e da realidade individual dos empreendimentos, a construção de planos de intervenções, em conjunto com os empresários, além de assessorias customizadas e entregas concretas, como material promocional e banco de imagens.

“As consultorias nos deram uma visão macro do nosso negócio, criamos um plano de ação, aprendemos várias técnicas e então começamos a acompanhar indicadores que até o momento nem existiam em nosso negócio”, lembra Thiago Henrique, da Hora do Doce, em Juatuba.

Com vistas a aumentar o tíquete médio das empresas e o tempo de estadia dos visitantes nos municípios, os consultores do projeto desenharam, junto com os empresários, dez roteiros turísticos de experiência. “Esses roteiros têm o propósito de diversificar a oferta turística da região como um todo, considerando as singularidades de cada empresa. Com isso, aumentamos as possibilidades de retenção do turista por mais tempo e geramos mais renda”, explica Jannyne Barbosa, coordenadora-geral do projeto pela Turismo 360.

Outro eixo importante trabalhado durante o projeto foi o de comunicação e mercado. Todos os empresários receberam materiais promocionais de seus negócios, além de consultorias para a melhora de seu posicionamento de marca e presença na internet. “Conseguimos melhorar bastante o desempenho dos empreendimentos nas mídias sociais. Somando os seguidores de todas as empresas, registramos um aumento de 407% em relação ao ano anterior, passando de 190 mil para 968 mil seguidores”, analisa Jannyne Barbosa.

Foram 4,1 mil horas de consultoria, dez roteiros criados, 1.250 fotos profissionais tiradas e 190 pessoas envolvidas nas capacitações coletivas, contribuindo assim para a melhoria dos serviços, o aprimoramento da gestão e o fortalecimento da imagem da região como destino turístico competitivo.

Encerrado o programa, os empresários são unânimes em comemorar os resultados. “Foi um divisor de águas. Minha empresa é outra depois dessa experiência. O projeto criou um futuro para o meu negócio, houve um fortalecimento muito grande da nossa gestão e da nossa marca no mercado. Hoje sabemos qual é o nosso potencial”, conta Flávia Alvarenga do Carmo. Ela revela que registrou um aumento significativo no faturamento de seu Hotel Fazenda, mesmo se comparado ao período pé-pandemia.

O mesmo aconteceu com o restaurante Casa do Rei Bistrô, que deve ser ampliado em breve. “O número de clientes praticamente dobrou. Recebemos clientes de outras cidades e só escutamos elogios. Já percebemos a necessidade de ampliação do restaurante, temos fila de espera nos fins de semana, inclusive no domingo, que até então tinha um movimento baixo”, detalha Mendes.

Para Érica Maia, gestora do Circuito Turístico Veredas do Paraopeba, a melhora das relações entre os empreendimentos é também fruto do projeto. “As evoluções foram percebidas dentro de cada empresa, mas também fora. O fortalecimento das relações entre os empresários contribuiu para a dinamização do turismo na região como um todo”.

Atividades colocam crianças e adolescentes em movimento | Crédito: Divulgação

Monte Verde aposta nas férias de julho

Principal ponto turístico de Minas Gerais no inverno, o distrito de Monte Verde, em Camanducaia, no Sul do Estado, é uma excelente opção para quem deseja aproveitar o mês das férias escolares com diversas opções de lazer e atividades em locais abertos e contato com a natureza.

Desde quando voltou a receber visitantes, a vila adotou o turismo consciente, com regras rígidas para garantir a saúde e segurança de todos, mesmo durante a pandemia. Uma boa alternativa é aproveitar Monte Verde durante a semana, quando é possível encontrar valores diferenciados nas hospedagens.

A Move (Agência de Desenvolvimento de Monte Verde e Região) listou algumas opções de passeios para curtir com a criançada:

Parque Oschin – Com 45 mil metros quadrados, o Parque Oschin está com uma programação especial de Arraiá, com atrações como a Casa do Jeca, que permite o contato com animais dóceis. Nos passeios pelo parque é possível observar pássaros, nascentes, araucárias e xaxins centenários. Além disso, possui um mega playground e animais como lhamas e cisnes. O acesso é limitado, por isso recomenda-se comprar o ingresso com antecedência pelo site do parque. É importante lembrar que o parque não abre para visitação às terças-feiras.

Escola de Falcoaria – Já pensou em interagir diretamente com uma ave de rapina? É isso que a Escola de Falcoaria proporciona aos seus visitantes, enquanto ensina um pouco sobre esta arte milenar, reconhecida pela Unesco como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. Para quem quer curtir a experiência de voar uma ave de rapina é preciso agendamento prévio por meio do site da escola ou por WhatsApp (35) 9-8851-5333. A Escola de Falcoaria funciona diariamente, exceto às quartas-feiras.

Patinação no gelo – Parada quase obrigatória em Monte Verde, a pista de patinação no gelo indoor é diversão garantida para toda a família. A pista tem 200 metros quadrados, uma das maiores pistas fixas do País. Para garantir uma patinação segura, o local oferece monitores que dão orientações básicas. Para os pequenos, a Patinação Monte Verde oferece andadores reguláveis, possibilitando uma diversão ainda mais segura. A idade mínima para patinar é de 5 anos. O local funciona diariamente e as reservas podem ser feitas pelo telefone (35) 3438-1440.

Piquenique Um piquenique em família é uma boa opção para quem busca unir o prazer da culinária mineira com a exuberância da natureza local. É possível alugar cestas completas para fazer o piquenique onde desejar. Quem gosta de pedalar, há a opção de fazer um bike tour de 10km ou 20km e finalizar com uma refeição ao ar livre. Consulte com a Move as agências que oferecem o serviço: (35) 3438-1839.

City Tour – Que tal conhecer a história de Monte Verde de uma forma diferente em um passeio por cachaçaria, fábrica de chocolate, lojas de queijos e doces, e ainda fazer uma caminhada em meio a rica natureza do distrito, tudo isso com muitas fotos feitas pelos guias? Há várias agências que oferecem o passeio.

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!