Expocafé vai reunir, no mesmo ambiente, fornecedores de equipamentos e insumos para cafeicultura - Crédito: Eric Gonçalves

Os investimentos em formas de ganhar eficiência, aumentar a qualidade e promover a redução de custos na produção cafeeira serão fundamentais para alavancar os negócios ao longo da 22ª edição da Expocafé.

O evento, que é um dos mais tradicionais do setor cafeeiro, acontece nos dias 15,16 e 17 de maio, no Campo Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), em Três Pontas, no Sul de Minas Gerais. A expectativa é superar os R$ 200 milhões gerados em negócios durante a edição anterior.

Na feira, estarão reunidos fornecedores de máquinas, equipamentos e insumos para a cafeicultura. Além disso, o espaço é utilizado para a capacitação do cafeicultor, que pode participar de palestras, cursos e demonstração de produtos. Um dos principais destaques desta edição é a apresentação de novas tecnologias voltadas para o setor, o que é fundamental para a evolução da cafeicultura mineira.

De acordo com o coordenador de negócios da Expocafé, Antônio Fernando Bastos Nunes, as expectativas em relação ao evento são positivas. Apesar do momento de preços baixos pagos pelo café, os investimentos em tecnologias devem ser mantidos por parte dos produtores, uma vez que são fundamentais para ganhar eficiência e aumentar a qualidade do café. Formas que permitem o aumento da competitividade e do valor ao grão.

“A Expocafé é um evento consolidado e, a cada ano, aumenta o número de expositores. É um momento oportuno para o cafeicultor adquirir insumos, máquinas, equipamentos e conhecer as novas tecnologias voltadas para a produção. Mesmo com os preços pagos pelo café aquém do esperado, investir em melhorias traz mais eficiência e amplia a qualidade, agregando valor ao café”, explicou Nunes.

Grande adesão – A comercialização de estandes está em alta. Faltando em torno de um mês para o evento, cerca de 150 empresas já confirmaram a participação, número que deve superar 170 até o encerramento do processo. Estarão presentes empresas de diversos segmentos, incluindo máquinas, equipamentos, insumos, mudas, fertilizantes e de novas tecnologias.

Nunes destaca que a variedade de empresas participantes é grande e importante para os produtores.

“Como a Expocafé é uma referência para o setor, a cada ano recebemos novas empresas na feira. Isso é importante para diversificar as tecnologias e os serviços voltados para a cultura do café”.

Drones – Entre as novidades, haverá uma empresa especializada em energia solar e uma voltada para a pulverização das lavouras com drones. De acordo com Nunes, as tecnologias mais novas são responsáveis por garantir ao produtor maior eficiência, o que é importante para a melhor gestão dos negócios.

“Os investimentos em energia solar, no campo, estão em expansão. Além de ser uma necessidade, os valores para o investimento estão ficando mais acessíveis. Os cafeicultores precisam planejar os negócios em longo prazo, e os aportes na produção de energia solar têm sido bem interessantes”, explicou.

Antecedendo a abertura da Expocafé, será realizado, no dia 14 de maio, o 10º Simpósio de Mecanização da Lavoura Cafeeira. No evento, pesquisadores da Epamig e de universidades apresentam os estudos voltados para a cafeicultura. É a oportunidade de os cafeicultores conhecerem o que vem sendo desenvolvido nas entidades de pesquisa e encontrarem soluções para gargalos presentes nas unidades produtivas.

“O simpósio é importante por aproximar os pesquisadores e os cafeicultores. Além de divulgar os resultados dos estudos, o que permite a aplicação dos mesmos no campo, os pesquisadores têm a oportunidade de identificar, junto aos produtores, novas demandas que podem ser transformadas em pesquisas e soluções”, explicou o coordenador de negócios da Expocafé.

A Expocafé é realizada pela Epamig, Universidade Federal de Lavras (Ufla), Prefeitura de Três Pontas e pela Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas (Cocatrel).