COTAÇÃO DE 14/05/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2710

VENDA: R$5,2710

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,2700

VENDA: R$5,4330

EURO

COMPRA: R$6,3961

VENDA: R$6,3990

OURO NY

U$1.843,90

OURO BM&F (g)

R$311,62 (g)

BOVESPA

+0,97

POUPANÇA

0,2019%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

BNDES financiará restauro de prédios barrocos em Mariana

COMPARTILHE

grejas São Francisco de Assis e Nossa Senhora do Carmo, Mariana - EDERNON MARCOS PEREIRA / GOVERNO DE MINAS GERAES / AGÊNCIA BRASIL

Rio de Janeiro – As obras de restauração da Igreja de São Francisco de Assis e da Casa do Conde de Assumar, localizadas em Mariana, na região Central de Minas, devem começar em outubro, com recursos não reembolsáveis do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). De acordo com a instituição, será destinado um total de R$ 14,2 milhões.

As construções do período colonial brasileiro encontram-se fechadas atualmente e sob risco de ruir. As duas edificações vão integrar o Museu da Cidade de Mariana e a restauração deve ser concluída em 2021.

PUBLICIDADE

A Igreja de São Francisco de Assis foi construída em 1794. A fachada e alguns elementos ornamentais, entre os quais o púlpito, o retábulo-mor, o lavabo e o teto da capela-mor são de autoria de Aleijadinho, com pinturas artísticas de Manuel da Costa Ataíde. A igreja barroca era um dos monumentos mais visitados de Mariana até sua interdição em 2013, diante do risco de arruinamento, informou o BNDES.

Já a Casa do Conde de Assumar foi construída, provavelmente em 1715, para ser a moradia do conde, então governador da Capitania de Minas Gerais e São Paulo. A construção foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1938.

Ações educativas – O banco prevê também a realização de ações educativas sobre a importância do patrimônio histórico, por meio de visitas monitoradas ao canteiro de obras. O projeto prevê, após a conclusão do restauro, que a gestão das edificações seja compartilhada, ficando a casa do Conde de Assumar, sede do museu, de responsabilidade da Prefeitura de Mariana, enquanto a Igreja de São Francisco de Assis ficará sob a responsabilidade da arquidiocese da cidade. As duas entidades deverão destinar recursos para a manutenção das construções pelo período de 20 anos, a contar da assinatura do contrato com o banco.

De acordo com o BNDES, o projeto ajudará a mitigar os impactos decorrentes do desastre ambiental ocorrido em Mariana em 2015, com o rompimento da barragem de rejeitos da mineradora Samarco, contribuindo para fortalecer a vocação turística e cultural da cidade, bem como outras atividades econômicas. (ABr)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!