Nova operação é parte da estratégia de ampliar o portfólio do grupo. Créditos: Joao Marcos Rosa/Divulgação

Sede de uma das fábricas da indústria farmacêutica Hipolabor, o município de Montes Claros, no Norte de Minas, vai receber uma segunda planta do grupo, desta vez da indústria Sanval, que tem sede em São Paulo e é especializada na produção de comprimidos e cápsulas.

A fábrica ficará em um terreno de 30 mil metros quadrados doado pela prefeitura da cidade e terá um investimento de R$ 70 milhões. A nova operação vai gerar 500 empregos diretos e será focada na produção de genéricos, sólidos de uso oral e produtos de biotecnologia.

A Sanval foi adquirida em 2007 pela Hipolabor em uma estratégia de expansão de portfólio. A empresa produz, principalmente, sólidos orais, que são comprimidos e cápsulas, mas também outros produtos, como cremes e xaropes. A expansão dessa operação para Montes Claros segue a estratégia do grupo de apostar em novos produtos.

“Nossa intenção é expandir nossa atuação, tanto em relação à capacidade produtiva, quanto do ponto de vista comercial com aumento de portfólio”, explica o presidente da Hipolabor, Renato Alves.

De acordo com ele, a nova fábrica será focada em genéricos, sólidos de uso oral e produtos de biotecnologia. Ele não abre detalhes sobre que produtos são esses, mas garante que a nova planta de Montes Claros fabricará produtos totalmente diferentes dos que já são feitos nas fábricas existentes, sendo uma no próprio município do Norte de Minas e outra em Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

A planta terá 14 mil metros quadrados de área construída e uma produção de 60 bilhões de comprimidos por ano.

Ao todo, o grupo vai investir R$ 70 milhões na construção e na implementação da operação, aporte que deve retornar para o grupo em até cinco anos, segundo o presidente.

Ele explica que os trâmites de aprovação de projeto e busca de licenciamentos já começaram e a expectativa é que a fábrica seja inaugurada no fim do ano que vem.

A expectativa é que sejam gerados 500 empregos diretos. Alves afirma que a escolha de Montes Claros como sede de mais uma operação do grupo pode ser explicada por diversos aspectos, que tornam o município muito atrativo para o investimento.

“A área é muito interessante do ponto de vista logístico: por lá passam rodovias para o Sudeste, o Centro-Oeste e o Nordeste. Além disso, Montes Claros é uma região com incentivo fiscal tanto do Estado quanto do governo federal, tendo em vista que é uma área da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene)”, afirma.

Estudo – O vice-prefeito de Montes Claros e presidente da Regional Norte da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Adauto Marques Batista, afirma que a atração da Sanval é fruto de um esforço antigo da entidade que representa a indústria na cidade e do poder público.

“Por meio de um estudo identificamos que os dois clusters da cidade são o de fruticultura e o de biotecnologia e fármaco. Diante disso, temos trabalhado para atrair empresas nesses segmentos”, afirma.

Ele lembra que a cidade também tem grande força na área educacional, o que a faz uma excelente fornecedora de mão de obra.

“Temos seis cursos de farmácia na cidade e somos capazes de atender a demanda dessas indústrias de mão de obra qualificada”, frisa.

Segundo ele, o terreno doado à empresa fica no Distrito Industrial e, portanto, já era destinado a esse fim. Ele afirma que, do ponto de vista de valor real, o preço do terreno nem se compara ao valor que a Sanval trará para o município.

“Além de emprego e renda, a indústria trará recursos em encargos para o município. Nós fazemos questão de dar esse apoio, tanto em doação de terreno, quanto nos trâmites seguintes porque o empresário gosta de ser bem tratado e nós queremos que eles venham para a cidade”, conclui.