COTAÇÃO DE 01/12/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6700

VENDA: R$5,6710

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6870

VENDA: R$5,8270

EURO

COMPRA: R$6,3654

VENDA: R$6,3672

OURO NY

U$1.779,55

OURO BM&F (g)

R$322,58 (g)

BOVESPA

-1,12

POUPANÇA

0,4412%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia zCapa

Ecovias do Cerrado começará a cobrar tarifa em rodovia em Minas

COMPARTILHE

Leandro Silva Souza / Divulgação

O avanço das intervenções nos 437 quilômetros da BR-364/365 que interligam o município de Jataí, em Goiás, a Uberlândia, na região do Triângulo, em Minas Gerais, e que são administrados pela concessionária Ecovias do Cerrado, do Grupo EcoRodovias, fez com que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) autorizasse o início da cobrança da tarifa nas praças de pedágio de Uberlândia e Monte Alegre de Minas, ambas no Triângulo.

Desde que assumiu a rodovia, em janeiro deste ano, a concessionária já investiu cerca de R$ 300 milhões em melhorias, de um montante total de R$ 4,57 bilhões a serem aportados em 30 anos.

PUBLICIDADE

A operação de cobrança será iniciada a partir da 0h do dia 14 de novembro. Em ambas as praças, os valores serão de R$ 2,45 para motocicletas e de R$ 4,90 para veículos de passeio. Para os veículos comerciais, a tarifa de pedágio será definida de acordo com a categoria do veículo. Os valores foram calculados pela ANTT e levaram em consideração o percentual positivo de 15,33% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), com vista à recomposição tarifária, mais arredondamentos.

De acordo com o diretor superintendente da Ecovias do Cerrado, Luis Carlos Lima Salvador, ao longo dos quase dez meses de concessão, várias intervenções foram feitas, o que permitiu a autorização para o início das cobranças.

“O contrato de concessão é de longo prazo e estabelece condições, obrigações e marcos para garantir segurança e fluidez na via. A autorização da cobrança de pedágio nas duas praças está dentro das previsões contratuais e nos trará equilíbrio financeiro para fazer frente aos investimentos previstos”, explicou.

Intervenções – Dentre as intervenções feitas e que foram essenciais para o início da cobrança de pedágio está a recuperação da malha viária, que foi 100% renovada. Também foi feita a implantação de serviços de socorro médico, mecânico e monitoramento de pista, antecipado em 50 dias do prazo estipulado em contrato.

A sinalização horizontal (faixas) foi totalmente revitalizada e mais seis mil placas de sinalização foram instaladas ao longo dos 437 quilômetros de concessão.  Dentre os serviços que estão sendo prestados, diariamente, são executadas limpezas e capinas em toda a área de vegetação da faixa de domínio e do canteiro central do trecho.

Com início das atividades em setembro, em dois meses do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU) foram prestados mais de oito mil atendimentos. A maior parte deles (5,3 mil) foi para auxílios em ocorrências mecânicas de pequena complexidade. Já os profissionais de socorro médico realizaram 347 atendimentos pré-hospitalares, como socorro a vítimas de acidente ou motoristas que apresentaram mal-estar durante a viagem.

“Desde que assumimos a rodovia, em 20 de janeiro, promovemos a recuperação de todo o trecho. Fizemos a recuperação e restabelecemos as condições de segurança na rodovia, incluindo serviços de pavimentação, recapeamento, correção de defeitos até a renovação de toda a sinalização, com a instalação de placas novas, pinturas, instalação de faixas refletivas, elementos de proteção e segurança”.

Ainda segundo Salvador, o serviço de atendimento ao usuário foi iniciado com quase dois meses de antecedência do prazo contratual. Ao todo, são nove bases operacionais ao longo do trecho, que estão localizados a cada 40 quilômetros ou 50 quilômetros de distância uma da outra. As bases são equipadas com mais de 30 tipos de equipamento para atender problemas na via.

Obras em trevo de Xapetuba avançam

Diversas são as obras previstas nos 30 anos de concessão. Uma das obras em execução ao longo da BR-365 é o Trevo de Xapetuba, no entroncamento com a BR-452, entre os municípios de Monte Alegre de Minas e Uberlândia.

As intervenções estão caminhando para a 3ª fase de construção, que consiste na instalação de novas vigas e implementação da laje. No local, a concessionária já finalizou a retirada de antigas estruturas e a duplicação da pista. A expectativa é de que toda essa obra seja concluída e liberada para o tráfego ainda em dezembro de 2020.

“Esta é uma obra de grande relevância para a região e era aguardada há mais de dez anos. Os 437 quilômetros da BR-364/365 são de grande importância para a região, que é grande produtora de grãos e precisa de rodovias em boas condições para escoar a produção”, explicou o diretor superintendente da Ecovias do Cerrado, Luis Carlos Lima Salvador.

Ainda está prevista, mas no segundo ciclo de obras, a duplicação de 44 quilômetros da BR-365 próximo a Ituiutaba, no Triângulo. O início das obras depende do aumento do tráfego na região.

“O contrato de concessão estabelece que temos até o 12º ano de concessão para concluir a obra, por conta da demanda de tráfego. O que estamos fazendo agora é adiantando os projetos de engenharias para tomar as providências necessárias e iniciar as obras quando o momento correto chegar”, detalhou.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!