COTAÇÃO DE 24/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3430

VENDA: R$5,3440

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3800

VENDA: R$5,5030

EURO

COMPRA: R$6,2581

VENDA: R$6,2594

OURO NY

U$1.750,87

OURO BM&F (g)

R$301,00 (g)

BOVESPA

-0,69

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia exclusivo zCapa

Gasmig diminui os preços do gás natural industrial e do GNV no Estado

COMPARTILHE

Crédito: Alisson J. Silva/Arquivo DC

Para garantir maior competitividade às indústrias mineiras e reduzir os custos dos motoristas, principalmente taxistas e de aplicativos de transporte, a Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) anunciou a queda dos preços do gás.

No caso do gás natural voltado para a indústria, a redução é de 5%, e para o gás natural veicular (GNV), a contração será de 5,95%. A tendência é de que os preços caiam ainda mais podendo chegar a uma redução próxima a 10% em maio. A Gasmig mantém os planos de investimentos e, para os próximos três anos, projeta um aporte de R$ 500 milhões na expansão das redes.

PUBLICIDADE

O presidente da Gasmig, Pedro Magalhães, explica que acredita que o Brasil vai superar a crise e projeta o investimento de R$ 500 milhões na expansão das redes industrial e residencial. A confirmação do aporte depende ainda da aprovação do conselho.

A redução atual dos preços do gás natural não vai impactar de forma negativa no faturamento da Gasmig, uma vez que houve equalização dos valores da Petrobras para a Gasmig em 2019. Magalhães explica que o preço de venda da Petrobras para São Paulo era muito menor que o cobrado de Minas, e devido à negociação feita pela Gasmig, houve uma queda próxima de 9% nos preços para o Estado, em novembro de 2019, o que compensa a redução atual.

Porém, a parada e redução das atividades econômicas, em função da contenção do coronavírus, na última semana, houve uma retração de 10% do faturamento da Gasmig, mas a tendência é de retomada, uma vez que as principais empresas atendidas estão funcionando e algumas já relatam aumento de demanda vinda da China.

“Desde que entrei na Gasmig, estamos em discussão com a Petrobras pelo valor mais caro praticado com Minas Gerais. Em negociação com a empresa, conseguimos uma redução próxima a 9% em novembro. Como em janeiro houve um reajuste de 4%, repassamos uma queda de 5%. Acho que o gás deve recuar cerca de 10% no mês de maio, em função da redução dos preços do petróleo e do real desvalorizado frente ao dólar”.

No caso da indústria, a redução nos valores é importante para aumentar a competitividade das empresas, para que as mesmas se mantenham em funcionamento durante a pandemia do coronavírus.

Magalhães explica que nesse momento de crise pelo qual o mundo está passando, em função da disseminação do coronavírus, a Gasmig, junto ao governo de Minas Gerais, tomou a decisão de reduzir o preço do gás industrial em 5%, fazendo com que o valor médio do metro cúbico fique em torno de R$ 1,84. No caso do gás veicular, a queda é de 5,95% e, alguns postos, já comercializam o produto a R$ 2,99 o metro cúbico.

Alento – “Para a indústria mineira, que vem enfrentando um momento difícil decorrente da crise provocada pelo coronavírus, com a redução do preço do gás natural daremos uma contribuição para que as elas continuem a desenvolver as atividades. Com a redução do custo do gás, queremos dar maior poder de competitividade, para que as indústrias tenham condições melhores de competir no mercado interno e externo com os produtos fabricados em Minas Gerais”, explicou Magalhães.

A redução dos custos do gás para a indústria pode contribuir também para a manutenção dos empregos. “Com a redução, automaticamente, as indústrias terão mais condições de manter os empregos que, nesse momento, é uma grande preocupação dos brasileiros e dos trabalhadores mineiros”.

GNV – Em relação à queda dos preços do gás natural veicular, a redução de 5,95% irá beneficiar os motoristas que já fizeram a conversão dos veículos para o gás. A revisão dos valores irá beneficiar, principalmente, os taxistas e motoristas de aplicativos como o Uber, POP, Cabify e outros.

“Para se ter ideia, com R$ 50 é possível rodar cerca de 221 quilômetros com o gás veicular natural, 121 quilômetros com os veículos movidos a gasolina e 119 quilômetros com etanol. Com o GNV, o motorista, praticamente, roda o dobro em relação aos outros combustíveis”.

O representante da Gasmig, explica ainda que a entidade estimula a conversão dos veículos para o GNV. Hoje, são concedidos R$ 2 mil para que taxistas e motoristas de aplicativos de transporte convertam os veículos. Para os cidadãos comuns que quiserem converter, o auxílio é de R$ 1 mil.

“A conversão promove uma economia importante. Um motorista que roda muitos quilômetros, como taxistas e aplicativos de transporte, o retorno do investimento ocorre em cerca de três meses”, explicou Magalhães.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!