A Oxis Brasil deve iniciar as operações no início de 2023, com a produção de 300 mil células de bateria por ano em Juiz de Fora | Crédito:

Com investimentos de aproximadamente R$ 245 milhões, será instalada em Juiz de Fora, na Zona da Mata, a primeira fábrica de células de bateria de lítio-enxofre do mundo. O empreendimento recebeu o nome de Oxis Brasil. A iniciativa tem à frente a Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) e a empresa britânica Oxis Energy.

O novo negócio será instalado em um galpão de 20 mil metros quadrados, que pertence à Mercedes-Benz do Brasil. O contrato de locação é de 15 anos e as obras de adequação vão começar imediatamente.

As operações deverão ter início no ano de 2023. As projeções são de que, inicialmente, a fábrica comece a operar com uma produção de 300 mil células de bateria anuais, mas com capacidade de produzir até 5 milhões por ano. No início das operações, serão gerados cerca de 100 empregos diretos. A nova fábrica deverá atender o setor de mobilidade, além de indústrias de defesa e aeroespacial.

“Estamos trazendo mais que uma fábrica para Minas, para o interior do Estado: é tecnologia na fronteira do conhecimento que está sendo colocada a serviço do desenvolvimento mineiro. Nesse momento complexo e delicado em que vivemos, é fundamental contribuir para que o Estado se fortaleça e focar nossos recursos e esforços em soluções criativas, pioneiras”, destaca o diretor-presidente da Codemge, Dante de Matos.

Além disso, em material enviado para a imprensa, Dante de Matos também destacou como vantagens do empreendimento “a transferência de tecnologia, a geração de novos empregos, além da projeção do Estado no cenário econômico internacional em um segmento de vanguarda”.

Segundo a Codemge, Juiz de Fora foi escolhida, sobretudo, por causa da sua posição geográfica, que atribui ao município diversas facilidades logísticas. Outros pontos importantes que a região oferece, segundo a entidade, são as boas escolas e universidades, além de uma rede de serviços ampla e mão de obra especializada.

Empresa – A Oxis foi fundada no ano de 2005 e já conta com mais de 43 famílias de patentes. Agora, a empresa espera contribuir para uma nova realidade no Brasil.

“Nosso objetivo é auxiliar o governo brasileiro a eliminar todos os ônibus movidos a motores de combustão interna em um período de 25 anos, o que equivale à produção de 4 bilhões de células. O Brasil tem a terceira maior frota de ônibus do mundo, com 700.000 unidades movidas a combustão interna em circulação”, afirma o presidente da Oxis Energy, Huw Hampson-Jones, também em material enviado para a imprensa.

Algumas vantagens das baterias de lítio-enxofre em relação às baterias de íon lítio, mais empregadas no mercado atualmente, são observadas nas aplicações em que o peso é um fator crítico ou a densidade energética elevada é requisitada.

As baterias de lítio-enxofre são mais leves e ambientalmente amigáveis, já que não possuem metais pesados em sua formulação. Têm alto valor agregado, embora sejam econômicas, e garantem maior segurança, em comparação a outras baterias.

Mercedes-Benz – Segundo a Mercedes-Benz do Brasil, o espaço alugado pela empresa em sua fábrica de Juiz de Fora estava em desuso. A marca afirmou, em nota, que vai seguir produzindo as cabinas de todos os seus caminhões nas instalações do município, sem interferências por causa do aluguel.

“A empresa optou pelo aluguel, uma vez que o prédio não estava sendo utilizado, e vê como positiva a possibilidade de geração de receitas e novos empregos para a população local, ainda mais em momento desafiador da economia brasileira”, afirmou.