COTAÇÃO DE 24/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,8120

VENDA: R$4,8120

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8900

VENDA: R$4,9960

EURO

COMPRA: R$5,1664

VENDA: R$5,1690

OURO NY

U$1.866,41

OURO BM&F (g)

R$289,06 (g)

BOVESPA

+0,21

POUPANÇA

0,6667%

OFERECIMENTO

Economia Economia-destaque

Vendas de combustíveis em MG crescem 3,8% em outubro

COMPARTILHE

combustíveis
Crédito: Charles Silva Duarte / Arquivo DC

A retomada das atividades econômicas, após o período mais rigoroso de isolamento social para conter o avanço da Covid-19, está favorecendo as vendas de combustíveis em Minas Gerais. A recuperação dos volumes comercializados vem ocorrendo a cada mês.

Em outubro, a negociação de combustíveis no Estado somou 1,35 milhão de metros cúbicos, volume 3,84% superior ao registrado em setembro, que foi de 1,3 milhão de metros cúbicos. Os dados foram publicados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

PUBLICIDADE




Apesar da recuperação gradual dos volumes comercializados, no acumulado de janeiro a outubro, ainda é registrada retração de 5,2% quando comparado com o mesmo período do ano passado. Ao todo, já foram comercializados 11,9 milhões de metros cúbicos de combustíveis em Minas Gerais.

No confronto com outubro de 2019, também foi registrada queda. Em outubro do ano passado, as vendas de combustíveis no Estado somavam 1,37 milhão de metros cúbicos, o que representa uma queda de 1,45% em outubro atual.

Apesar do menor volume vendido tanto no acumulado do ano como na comparação com outubro de 2019, a recuperação da demanda vem ocorrendo no Estado. No período mais crítico da queda de consumo de combustíveis, provocada pela pandemia, em abril, a redução nas vendas chegou a 30%, com a comercialização de 998 mil metros cúbicos.

Segundo os dados divulgados pela ANP, em outubro, a comercialização de diesel, em Minas Gerais, atingiu 662,25 mil metros cúbicos, alta de 0,7% frente a setembro. O volume foi o maior registrado no ano.

PUBLICIDADE




No acumulado dos primeiros dez meses de 2020, a comercialização de diesel ficou praticamente igual à registrada no mesmo período de 2019, com pequena retração de 0,2% e somando 5,82 milhões de metros cúbicos. Na comparação com outubro de 2019, o volume está 1,14% superior.

Com a maior flexibilização do isolamento social, as vendas de gasolina comum também mostram sinais de recuperação. De acordo com os dados da ANP, em outubro, foram negociados 294,5 mil metros cúbicos do combustível, 4,84% a mais que em setembro. O volume foi o maior vendido no ano.

Com a evolução mensal nas vendas de gasolina comum, a queda acumulada nos dez primeiros meses do ano foi reduzida para 3,9%, somando um volume total de 2,62 milhões de metros cúbicos de gasolina. Alta também foi vista na comparação com outubro de 2019, quando a venda somou 277,6 mil metros cúbicos, o que representa aumento de 6% em outubro de 2020.

Etanol – As vendas de etanol hidratado também estão apresentando recuperação, porém, em níveis mais lentos do que os demais combustíveis. Nos dez primeiros meses do ano, a venda do biocombustível acumula retração de 14,9%, com 2,2 milhões de metros cúbicos negociados. Em outubro, o consumo chegou a 270,2 mil metros cúbicos – o maior no ano – e representou uma alta de 9,92% frente a setembro. Em relação a outubro de 2019, as vendas recuaram 8,4%.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!