Sociedade está mais familiarizada com o uso medicinal dos produtos à base de cannabis | Crédito: Divulgação/Ease Lab

Aquele que promete ser o primeiro laboratório especializado em produtos de cannabis naturais fitoterápicos do Brasil, instalado na região da Pampulha, em Belo Horizonte, pela Ease Labs, está prestes a ficar pronto.

A empresa também acaba de ganhar um novo investidor: a multinacional norte-americana especializada em gestão e reestruturação de empresas, Alvarez & Marsal (A&M). A estimativa é de que com a sociedade o faturamento aumente em R$ 47 milhões nos próximos dois anos.

As informações são do CEO da Ease Labs, Gustavo de Lima Palhares. Segundo ele, com uma capacidade de produção de 3,6 mil unidades por hora, a unidade contará com uma área de medicamentos controlados e entrará em operação ainda neste ano, após nova inspeção da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

As obras de adequação visaram transformar o laboratório em referência de produção para este tipo de medicamentos no Brasil.

“Na verdade, já tínhamos os pré-requisitos para iniciar as operações, de acordo com a resolução 327/2019, publicada no fim do ano passado pela diretoria colegiada da agência. Mas optamos por melhorar ainda mais a estrutura, com algumas adaptações e agora estamos na fase final. Em mais algumas semanas estaremos com o laboratório todo remodelado e pronto para operar”, revelou.

Ainda conforme o executivo, o investimento da Alvarez & Marsal (A&M) também fará toda a diferença para os negócios daqui para frente. Conhecida internacionalmente por sua expertise em melhoramento de performance de grandes empresas nos Estados Unidos e em outros países, por meio do seu fundo de venture capital brasileiro Next A&M Ventures, a empresa irá, além de investir na Ease Labs, contribuir com a expansão dos negócios da farmacêutica e na geração de receita.

Ele acrescentou que a entrada da Next A&M Ventures como o principal investidor da atual rodada de investimento, que totaliza R$ 3 milhões, é importante estrategicamente para empresa atingir seus objetivos de curto prazo e se preparar para a próxima rodada de Série A, com captação de R$ 25 milhões (onde a empresa atingirá um valor de R$ 300 milhões) para lançar seu portfólio, colocando nas farmácias de todo o País produtos de qualidade à base de CBD para os brasileiros com preços realmente acessíveis.

Palhares também ressaltou que o próximo passo será preparar para o IPO da empresa em 2022 ou 2023 na B3 ou em bolsas internacionais. “A estimativa é de que com a sociedade, o faturamento aumente no mínimo R$ 47 milhões nos próximos dois anos”, comentou.

Palhares: estimativa é de que com a sociedade faturamento aumente R$ 47 mi em dois anos | Crédito: Francisco Dumont

Infraestrutura – Ao todo são 3 mil metros quadrados dispostos em 1,5 mil metros quadrados de área construída, cuja capacidade será mais que suficiente para atender não apenas a demanda brasileira, mas também as remessas que serão enviadas ao exterior.

“Teremos um trabalho gradual de inserção no mercado brasileiro e também voltado para exportações. Inicialmente a capacidade será suficiente e, eventualmente, no futuro, teremos alguma expansão”, completou o CEO.

Inclusive, o executivo disse que a demanda está maior nos últimos meses e que a expectativa apenas para o mês de julho é de um incremento de 90% nas vendas da Ease Labs.

Nos meses anteriores, os aumentos foram de 50% em comparação com os meses anteriores. Um dos motivos apontados por ele é o fato das pessoas estarem, cada vez mais, conhecendo os benefícios do canabidiol (CBD) no tratamento de várias doenças e sua eficácia terapêutica em transtornos psicológicos, como a ansiedade e a depressão, comuns em períodos de crise, como o atual, causado pela pandemia de Covid-19.

“A sociedade civil e médica está mais familiarizada com o uso medicinal dos produtos à base de cannabis. Além disso, agora a Anvisa emite a autorização para a importação do produto entre um e dois dias. Anteriormente, o paciente aguardava em média três meses para obter o documento. Tudo isso tem colaborado para a expansão”, explicou.

Com sede em Belo Horizonte, a empresa possui unidades em São Paulo e Montevidéu, no Uruguai – naquele país, as unidades são direcionadas para o cultivo indoor de cannabis e para a logística internacional dos insumos farmacêuticos e produtos à base da planta para exportação.