COTAÇÃO DE 26/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,7610

VENDA: R$4,7610

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8500

VENDA: R$4,9530

EURO

COMPRA: R$5,1433

VENDA: R$5,1459

OURO NY

U$1.850,86

OURO BM&F (g)

R$284,80 (g)

BOVESPA

+1,18

POUPANÇA

0,6719%

OFERECIMENTO

Negócios zCapa

Indusat supera impacto da Covid-19 e amplia produção

COMPARTILHE

Em termos de produção, atualmente, a indústria produz cerca de 100 mil suportes, de 150 mil a 200 mil antenas e 15 mil transformadores por mês | Crédito: Divulgação/Indusat

Na esteira das empresas que conseguiram tirar proveito do cenário causado pela pandemia de Covid-19, exceto pelo ponto de vista sanitário, está a Indusat, empresa do ramo de metalmecânico com mais de 30 anos de mercado, sediada em Uberlândia, no Triângulo Mineiro.

A empresa produz suportes para TVs, antenas, transformadores, filtros de linha, acessórios para televisores, suportes, cabos e afins, e exporta parte de seu portfólio para países da América do Sul.

PUBLICIDADE




De acordo com o proprietário da Indusat, Décio Carmona, há alguns meses, com a chegada do novo coronavírus ao País e as medidas de distanciamento social, a demanda caiu e quase paralisou a produção. Mas, em seguida, o mercado voltou a se aquecer e os pedidos aumentaram.

“Não cheguei a mandar ninguém embora. Na época tinha 60 funcionários. Depois, começou esse boom de vendas. Dobrei a capacidade e hoje estamos operando em três turnos”, disse.

Assim, a empresa deverá encerrar 2020 com incremento de 50% no faturamento. Já para o ano que vem, a expectativa do empresário é de um novo equilíbrio no mercado.

E se por um lado houve aumento da demanda, por outro, a Indusat também enfrenta problemas com os fornecedores de matéria-prima. Conforme Carmona, os preços dos insumos aumentaram muito, principalmente do aço, alumínio e cobre.

PUBLICIDADE




“Quando aumenta a demanda os preços se elevam. Estamos tendo dificuldades com insumos em praticamente toda a cadeia produtiva. E os preços se não estabilizarem, vamos ter que reajustar os produtos também”, admitiu.

Em termos de produção, atualmente, a indústria produz cerca de 100 mil suportes, de 150 mil a 200 mil antenas e 15 mil transformadores por mês. Minas Gerais responde por aproximadamente 40% do mercado, enquanto o restante é divido pelo restante do País. Além disso, a empresa produz estes equipamentos para os principais marketplaces e e-commerces do País.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!