Ação, que recolheu 428 aparelhos, é mais uma das estratégias do governo mineiro para o enfrentamento da pandemia | Crédito: Gil Leonardi/Imprensa MG

O governo de Minas inicia, nesta semana, a distribuição e devolução de respiradores devidamente recuperados para unidades de saúde de diversas regiões do Estado.

Os equipamentos – que estavam estragados e inutilizados em estabelecimentos hospitalares – estão sendo consertados, ampliando a quantidade de aparelhos disponíveis para o tratamento do Covid-19 em Minas. A ação é mais uma das estratégias do governo mineiro para o enfrentamento da pandemia do coronavírus. Dos 428 respiradores recolhidos, 187 já passaram por manutenção.

O governador Romeu Zema destacou mais esta estratégia desenvolvida por sua gestão para estruturar o sistema de Saúde no Estado. Do total de respiradores recuperados, 75 já serão devolvidos nesta semana para diversas unidades hospitalares mineiras.

“A Polícia Militar de Minas fez um belíssimo trabalho e recolheu 428 aparelhos respiradores em todo o Estado e, agora, nós temos a satisfação de devolver para as mais diversas regiões mineiras 75 unidades que foram reparadas. Quero agradecer muito as empresas que contribuíram com este reparo, a Fiat, a ArcelorMittal, o Sesi e o Senai”, afirmou o governador.

Zema ressaltou, ainda, que o empenho e o trabalho realizado pelo governo têm contribuído para que Minas continue tendo resultados expressivos no controle da pandemia. “Devido a ações como essa e muitas outras é que Minas Gerais tem sido um dos estados menos impactados pelo coronavírus e com as menores taxas de óbitos do Brasil. É Minas trabalhando para preservar a vida dos mineiros”, finalizou.

A operação de busca e reparo de ventiladores foi estabelecida pelo governador Romeu Zema e teve início no dia 3 de abril. A logística, destinada à busca e destinação para reparo dos respiradores está sendo coordenada pela Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), que atuou em conjunto com as secretarias de Estado de Saúde (SES) e de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag). A manutenção e recuperação dos respiradores foi realizada, sem custo, graças às empresas parceiras.

De acordo com a estratégia desenvolvida pelo governo, os respiradores serão devolvidos para os seus respectivos donos, ampliando a capacidade assistencial do Estado. Além disso, alguns equipamentos poderão ser realocados em áreas estratégicas determinadas pela Secretaria de Saúde.

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Giovanne Gomes da Silva, detalhou o trabalho estratégico realizado pela instituição.

“Recebemos a determinação do governador para que os policiais militares se deslocassem em todas as unidades hospitalares indicadas pela Secretaria de Saúde que tinham respiradores estragados ou que não estavam sendo utilizados. Nós, em uma operação de guerra, trouxemos todos os respiradores para a Academia da Polícia Militar e depois enviamos para os locais de manutenção. Hoje, temos a grata satisfação de anunciar que eles serão levados – na grande maioria para seus locais de origem -, e serão utilizados para salvar vidas, que é o nosso maior objetivo”, ressaltou o comandante.

Segundo o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, os equipamentos são de extrema importância para o tratamento de pacientes vítimas do Covid-19. “Estes respiradores já vão entrar em operação imediatamente. Ou seja, já correspondem a ampliação assistencial ao estado”, disse. (Da Redação)

Anac divulga novas medidas sanitárias

Foram publicadas nessa terça-feira (19), as novas medidas sanitárias para a aviação civil brasileira, como o reforço da necessidade de uso de máscara pelos passageiros durante toda a viagem, regras para o serviço de bordo e a manutenção do distanciamento social de pelo menos dois metros nos aeroportos.

A atualização do protocolo sanitário foi publicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e vem sendo implementada no setor pelo Grupo de Trabalho coordenado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) a pedido do Ministério de Infraestrutura, trazendo mais segurança para todos que ainda precisam se deslocar no atual cenário de pandemia de Covid-19.

A Nota Técnica nº101/2020/SEI/GIMTV/GGPAF/DIRE5/ANVISA, da Anvisa, aborda ainda vários pontos da rotina do viajante até o momento do desembarque. Os novos protocolos devem ser adotados por empresas aéreas e aeroportos.

As orientações atuais, que já preveem o distanciamento de pessoas nos aeroportos, a higienização de aeroportos e aeronaves e o uso dos equipamentos de proteção individual pelos funcionários do setor aéreo, seguem vigentes e vem ocorrendo no setor aéreo desde janeiro, antes da confirmação de casos de Covid-19 no Brasil.

O transporte aéreo se prepara para se tornar cada vez mais seguro em todo o mundo e já conta com tecnologias que contribuem para evitar o contágio, como a filtragem de ar especial nas aeronaves mais modernas. Essas aeronaves contam com um sistema de filtro de ar Hepa, que captura 99,7% de partículas ao promover a renovação do ar dos aviões a cada 3 minutos. Atualmente, todas as aeronaves da frota das empresas brasileiras contam com essa tecnologia.

Dentro das diretrizes a serem adotadas para empresas aéreas e aeroportos estão medidas como:

Utilização de EPI (Equipamentos de Proteção Individual) por trabalhadores e servidores públicos, conforme a situação;
Incentivo as campanhas de comunicação visando a prevenção e combate ao Covid-19;

Divulgação de avisos sonoros nos voos, áreas de embarque e desembarque nacionais e internacionais;

Distanciamento de 2 metros entre pessoas no aeroporto;

Desestímulo a aglomerações nas praças de alimentação de aeroportos e em espaços de check-in de embarque e, especialmente, desembarque dentro das aeronaves;

Uso de máscara por passageiros e funcionários em geral;

Desinfecção de toda a área de movimentação de passageiros, pontes de embarque, aeronaves, ônibus e demais espaços de uso comum;

Organização criteriosa do procedimento de embarque de passageiros e especialmente desembarque da aeronave até o solo, orientando para que os passageiros permaneçam sentados na aeronave no pouso e informados que o desembarque será realizado por filas, iniciando pelos assentos situados mais à frente da aeronave;

Recomendada a suspensão do serviço de bordo nos voos nacionais. No caso de manutenção desse serviço, priorizar alimentos e bebidas em embalagens individuais, higienizadas antes do serviço. Nos voos internacionais, deve ser priorizado alimentos e bebidas em embalagens individuais, higienizadas antes do serviço.

Situação atual do transporte aéreo – Atualmente, a malha essencial do mês de maio conta com 44 cidades atendidas, somando apenas 1.254 voos semanais contra os 14.781 previstos para o período, uma redução de 90% para o mercado doméstico. No mercado internacional, a redução é de praticamente 100%, sendo os voos poucos existentes focados em repatriação de brasileiros que estão no exterior e transporte de carga.

A novas medidas sanitárias e a malha aérea essencial buscam proteger os passageiros e profissionais que precisam se deslocar, além de preparar o setor aéreo para o momento de retomada da demanda pelo transporte.

Em abril, a demanda por voos domésticos recuou 93,1% em abril e oferta foi reduzida em 91,6%. No mercado internacional, a redução de demanda chegou a 96,1% e a oferta está 91,1% menor do que no mesmo período do ano passado. (Da Redação)