Crédito: Divulgação

O advogado Aristoteles Atheniense, ex-vice-presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e ex-conselheiro da entidade, morreu na sexta-feira (3), aos 84 anos, em Belo Horizonte. O jurista, que presidiu a OAB mineira, era um dos grandes nomes da advocacia no Estado.

Aristoteles Atheniense foi também jornalista e colaborador do DIÁRIO DO COMÉRCIO, onde seus artigos foram publicados por mais de 50 anos. Em seu último artigo, “Como ser otimista”, veiculado na edição de 19 de junho do DC, ele convoca a sociedade brasileira a crer no futuro, “por maiores que sejam os riscos e atropelos que a Pátria ainda venha a enfrentar”.

“Espero que a justiça jorre neste País como uma fonte e a equidade como uma poderosa correnteza. Já é hora de tirar esta Nação da areia movediça das inconstâncias sociais, de modo que possa se abrigar na sólida rocha da fraternidade”, afirma em um trecho do artigo. Palavra tem vida e promove união, justiça, discernimento e evolução humana e espiritual. Atheniense viverá em suas palavras, na coragem e erudição da sua luta.

Atheniense se formou pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais, na turma de 1959. Era membro da Federação Interamericana de Advogados, do American Bar Association, da Federação Internacional dos Advogados e do Instituto Histórico Geográfico de Minas Gerais.

Também presidiu a Academia Mineira de Letras Jurídicas entre 2013 e 2017, onde ocupava a cadeira 37, que tem o jurista Lincoln Prates como patrono. Era cidadão honorário de Belo Horizonte, Uberaba, Salinas e Pitangui.

Presidiu a seccional mineira da OAB por dois períodos (1979 a 1983); foi secretário-geral do Conselho Federal (1993/1995), vice-presidente nacional da OAB (2004/07) e presidente da Comissão de Relações Internacionais do Conselho Federal da OAB (2007/10). Foi conselheiro Federal da OAB/MG em quatro mandatos (1991/93; 1993/95; 2004/07; 2007/10).

Também era diretor da Associação Comercial e Empresarial de Minas (ACMinas). Foi ainda professor de Direito da PUC-MG

O advogado estava à frente do escritório Aristoteles Atheniense Advogados há 60 anos. Em nota, a banca comunicou o falecimento. “Perdemos hoje não só um homem de bem, um pai de família, um esposo, um grande advogado, mas um verdadeiro amigo, que a todos, independente de classe social ou da proximidade que com ele tinha, oferecia uma palavra de conforto, seja nos momentos tristes ou alegres, com o único interesse de ajudar, de estar presente”, afirma o texto.

O ex-presidente da OAB Nacional, Marcus Vinícius Furtado Coêlho, também expressou condolências. “Uma inestimável perda para o mundo jurídico. Possui relevantes serviços prestados à advocacia e a cidadania. Foi um advogado que honrou a profissão, sendo exemplo de dignidade a todos”, ressalta.

Segundo o advogado Alberto Zacharias Toron, Atheniense sempre foi “um homem de princípios e muita dignidade, alguém que tinha compromisso com o próximo, amava a família, os amigos e a profissão”. “Descansará entre os justos”.

“Os seus ensinamentos ficarão para sempre emoldurados em cada conquista e nas oportunidades oferecidas a todos que tiveram a ventura de com ele atuar ou, de alguma forma, fazer parte de sua caminhada nesta vida”, afirma a Associação de Dirigentes Cristãos de Empresa, em nota. (Da Redação)