Crédito: Divulgação / Filme Paixões

Tem mulher no futebol, sim: o Cinefoot Mulheres adentra ao gramado em 2020 para destacar a presença feminina no audiovisual, com a edição especial sobre a história do futebol feminino. O festival – que inclui filmes, debates, masterclass, seminário e podcast – faz parte do Cinefoot – Festival de Cinema de Futebol e é pioneiro no circuito mundial de festivais de cinema esportivo, reafirmando sua característica de vanguarda .

Cinefoot Mulheres conta com os apoios principais do Museu do Futebol e da Onu Mulheres.

A programação vai de 5 a 8 de novembro e será toda on-line e gratuita. Serão nove sessões de quatro países – Brasil, Nepal, Itália e Suécia – na plataforma de transmissão https://www.looke.com.br . Haverá lives de Abertura (05/11), Encerramento (08/11) e duas mesas transmitidas ao vivo pelos canais do Museu do Futebol: https://www.youtube.com/museudofutebolspaulo. Ao todo serão 16 filmes exibidos sobre futebol de mulheres.

O Cinefoot Mulheres nasce num momento de intensa mobilização de atletas, treinadoras, gestoras, instituições, lideranças e profissionais de diversas áreas, por respeito, valorização, visibilidade, democracia, representatividade, equidade, investimentos e estrutura sólida para o desenvolvimento sustentável do futebol praticado por mulheres no Brasil.

“O Museu do Futebol apoia o Cinefoot desde sua primeira edição, e é incrível participar agora do nascimento de um festival dedicado ao futebol feminino. A modalidade é uma causa nossa, porque o futebol é o maior exemplo de como operam as estruturas machistas na nossa sociedade, e desconstruir isso passa pela cultura”, afirma, a diretora técnica do Museu do Futebol, Marília Bonas. No ano passado, o Museu realizou a exposição “Conta-ataque! As Mulheres do Futebol”, mostrando a história da modalidade e trazendo à luz o período de 1941 a 1979 quando o futebol feminino foi proibido por lei no Brasil.

Reconhecimento – “O direito à igualdade, à compreensão das diferenças, mais a necessidade de reconhecer a importância do papel e da luta feminina na sociedade, torna-se presente cada vez mais, e assim entendemos da importância do Cinefoot Mulheres nessa construção, nesse projeto de valorização e reconhecimento da história de tantas mulheres que lutaram e que lutam pelo futebol no país”, afirma a diretora do evento, Daniela Fernandes.

A historiadora Aira Bonfim, que integra o projeto, é uma pesquisadora que resgata a verdadeira história do futebol no Brasil. Ela ajudou a implementar o Centro de Referência do Futebol Brasileiro, em São Paulo, dedicado à pesquisa e gestão de acervos. Para ela, o CineFoot Mulheres é um indicativo da experiência cultural ocupando o ambiente esportivo. “Para conceber uma curadoria de produções audiovisuais a respeito do futebol de mulheres, essas duas áreas se reconheceram e produziram materiais que são reveladores da cultura futebolística brasileira e inclusive internacional, com quantidade e qualidade”, diz Aira.

“É pensar que as mulheres ocuparam esse debate, elas não foram convidadas. Mas, transgrediram um ambiente que é machista, que é misógino. E de alguma forma estão contando histórias, que por vezes não foram reveladas ao longo dos mais de 100 anos do futebol no país e agora podem falar a linguagem do cinema”, celebra. “Podem contar histórias não contadas, que é o caso das memórias mineiras reveladas pela edição do CineFoot Mulheres do ano de 2020”, aponta a pesquisadora.

Mais informações e programação do Cinefoot Mulheres você encontra no site oficial do evento (www.cinefootw.art.br).