COTAÇÃO DE 14/05/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2710

VENDA: R$5,2710

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,2700

VENDA: R$5,4330

EURO

COMPRA: R$6,3961

VENDA: R$6,3990

OURO NY

U$1.843,90

OURO BM&F (g)

R$311,62 (g)

BOVESPA

+0,97

POUPANÇA

0,2019%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Legislação

Hotel consegue revisão contratual

COMPARTILHE

Crédito: Pixabay

Durante a pandemia da Covid-19, muitas empresas tiveram quedas significativas em suas receitas. Os hotéis, por não terem sido enquadrados na categoria de serviços essenciais, ficaram fechados por muitos meses e também amargaram prejuízos. Dessa maneira, contratos que foram firmados entre hotéis e outras empresas precisaram ser revistos com as determinações de lockdown. Com isso, a Andrade Silva Advogados conseguiu ganho de causa em dois casos para o Hotel Financial.

 O hotel possuía contratos com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), que em um contexto anterior à pandemia, funcionavam com base no pagamento fixo pelo fornecimento específico de água e energia, independentemente do consumo efetivo pelos serviços. No entanto, o consumo de água e luz do hotel caiu bruscamente com as medidas restritivas e, com isso, o valor fixo estabelecido por contrato passou a ser injusto para o estabelecimento.

PUBLICIDADE

 Aas advogadas Marcela Velasco e Renatha Amaral, da área de Cível, Contratos e Recuperação de Empresas do escritório Andrade Silva, elaboraram duas ações de revisão contratual, para que fosse determinada a revisão das bases dos contratos para garantir ao cliente o pagamento correspondente e proporcional ao percentual consumido. 

 Esse tipo de ação ainda é pouco comum no País e com o ganho foi possível adequar o contrato à realidade, o que trouxe uma economia para o hotel de 60% a 90%.

Foram concedidas liminares para que tanto a Cemig quanto a Copasa limitassem a cobrança ao volume de luz e água que foi efetivamente consumido, sob o fundamento legal de que a situação excepcional provocada pela pandemia da Covid-19 justifica a revisão, para que se tenha equilíbrio de obrigações entre as partes.

Com a decisão, foi possível adequar o contrato à realidade, o que confirma a importância de uma orientação jurídica apropriada em momentos de crise.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!