Cotação de 03/08/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,1920

VENDA: R$5,1930

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,1930

VENDA: R$5,3470

EURO

COMPRA: R$6,2205

VENDA: R$6,2217

OURO NY

U$1.810,36

OURO BM&F (g)

R$305,16 (g)

BOVESPA

+0,87

POUPANÇA

0,2446%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Opinião
Crédito: Feam

Alexandre Victor Silva Abreu *

O governo de Minas Gerais publicou no último dia 4 de setembro de 2019 o Decreto nº 47.705, que estabelece novas normas e procedimentos para a regularização de uso de recursos hídricos de domínio do Estado de Minas Gerais visando maior eficiência na formalização dos processos e análises destes.

PUBLICIDADE

O novo decreto buscar tornar menos burocrático a regularização das Outorgas do Direito de Uso de Recursos Hídricos. Para tanto, foram simplificadas as modalidades de outorga bem como foi reduzida a quantidade de documentos exigidos ao usuário na formalização do processo junto ao Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam).

Dentre as principais novidades relacionadas à documentação, citamos que não será mais necessário apresentar cópias autenticadas de documentos pessoais, escritura do imóvel averbada, cadastro ambiental rural dentre outros.

Ainda em relação à simplificação, foram extintas as modalidades permissão e concessão, restando apenas a autorização a ser concedida pelo Igam.

Nos casos de Declaração de Área de Conflito – DAC emitida pelo Igam, haverá atuação do Comitê de Bacia Hidrográfica – CBH que convocará os usuários para elaboração de proposta de alocação negociada de recursos hídricos, visando a regularização em processo único de outorga coletiva, com apoio técnico do Igam ou de outro órgão ou entidade competente.
Importante ressaltar que a análise das outorgas pelo Igam é relativamente nova tendo em vista que até maio de 2018 a responsabilidade cabia à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e a transferência de responsabilidade visa garantir maior eficiência e qualidade aos serviços ambientais em Minas Gerais.

Segundo dados do governo estadual, no último ano houve um aumento de eficiência de 180% na análise dos processos, o que gerou redução de 3.348 processos no passivo de outorga. O decreto entrará em vigor após 30 dias da data de sua publicação.

*Advogado da área Ambiental e Minerário do Lacerda, Diniz, Sena Advogados

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!